Seleção feminina de handebol terá chave complicada na Rio-2016

Técnico Morten Soubak coloca Brasil ao lado da atual campeã olímpica Noruega e da Romênia, algoz no último Mundial

O handebol brasileiro conheceu nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, quais serão seus grupos nos Jogos Olímpicos Rio-2016, em agosto. O time feminino, campeão mundial em 2013, elegeu a chave mais difícil, visando confrontos teoricamente mais fáceis na etapa seguinte.

As comandadas de Morten Soubak ficaram no Grupo A e terão pela frente Angola, Espanha, Montenegro, Romênia, algoz das brasileiras nas oitavas de final do último Mundial, e a atual campeã olímpica e mundial Noruega.

Por ser país-sede, o Brasil teve o direito de escolher em qual grupo gostaria de ficar após o sorteio das demais seleções. O benefício é concedido pela Federação Internacional de Handebol (IHF). Apenas era certo que a França cairia na outra chave.

Já a equipe masculina caiu no Grupo B, com Egito, Alemanha, Suécia, Eslovênia e Polônia. O técnico espanhol Jordi Ribera preferiu fugir do 'grupo da morte'.

A competição de handebol da Rio-2016 acontecerá entre os dias 6 e 21 de agosto, na Arena do Futuro, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca.
Veja como ficaram os grupos

FEMININO
Grupo A: Noruega, Romênia, Montenegro, Brasil, Espanha e Angola
Grupo B: Holanda, Rússia, Suécia, França, Argentina e Coreia do Sul

MASCULINO
Grupo A: Argentina, Qatar, França, Dinamarca, Croácia e Tunísia
Grupo B: Alemanha, Brasil, Egito, Eslovênia, Polônia e Suécia