Rolo compressor, Ágatha e Bárbara passam por russas e estão nas semis

Dupla abre vantagem no início dos sets, administra, e ganha por 2 a 0. Com isso, o Brasil garante, pelo menos, uma medalha

Bem diferente de Larissa e Talita, que ganharam apenas no tie break mais cedo, Ágatha e Bárbara Seixas tiveram um pouco mais de tranquilidade para avançar às semifinais dos Jogos Olímpicos do Rio. Entrosadas do início ao fim e com o incentivo, de sempre, da torcida na Arena de Copacabana, a paranaense e a carioca passaram pelas russas Birlova e Ukolova no fim da noite deste domingo. Vitória por 2 a 0, parciais de 23/21 e 21/16. Agora elas enfrentam nesta terça-feira as americanas Walsh e Ross.
As brasileiras estavam inspiradas. Começaram os sets feito um rolo compressor para cima das russas. Tanto no primeiro, quanto no segundo, abriram de cara quatro pontos de vantagem, sendo dois bloqueios de Ágatha logo no início da partida. 
Ágatha celebrou a vitória e, principalmente, o poder de reação da dupla depois de sofrer oito pontos em sequência no primeiro set. Sorridente, ela brincou com a situação que serviu como motivação para o restante da partida.
- Tenho certeza que quem tinha problema de coração hoje morreu (risos). Porque a gente matou mesmo. Olha, a gente começou bem o primeiro set e depois paralisou. Estava difícil para conseguir virar bola, mas o legal da nossa parceria é a cumplicidade. A gente se ajuda muito em todos os momentos, e nos difíceis principalmente. Uma pegou na mão da outra e disse: "A gente merece, é nosso. Vamos juntos nessa". E fomos ponto a ponto até vencer o set. Depois de vencer com aquela pontuação, não tinha para mais ninguém - comentou.
Bárbara preferiu elogiar a evolução da parceria ao longo da Olimpíada. Com quatro vitórias em cinco jogos, a carioca ressaltou a cumplicidade que tem com Ágatha.
- Ficamos felizes por saber que estamos progredindo. Cada vez mais entramos confiantes na quadra. Nos puxamos muito, nos ajudamos muito. Acho que isso é um dos fatores que faz a diferença no nosso time. Somos muito parceiras. Empurramos uma a outra - afirmou. 
Com as duas duplas femininas nas semis, o Brasil garante assim, pelo menos, uma medalha na Olimpíada. O país mantém a escrita e desde a inclusão do vôlei de praia em Atlanta 1996 nunca deixou de subir ao pódio.
O JOGO

Bárbara Seixas foi decisiva com largadinhas para fechar os sets  - Foto: FOTO: AP

As brasileiras começaram o primeiro set empolgadas feito a animação da torcida nas arquibancadas. Largaram na frente com quatro pontos seguidos de Ágatha, sendo dois deles de bloqueio. As russas conseguiram reagir empatando a partida: 6 a 6. Ágatha e Bárbara Seixas voltaram a demonstrar superioridade e fizeram 11 a 8. Só não esperavam uma reação de Birlova e Ukolova, que viraram o jogo para 13 a 11, forçando elas a pedirem tempo para tentar esfriar as adversárias.
A paranaense e a carioca perderam o ritmo e deixaram as estrangeiras administrarem o placar com facilidade, abrindo 18 a 13, sendo sete pontos seguidos. Mas elas conseguiram impor o ritmo novamente e conseguiram empatar: 20 a 20. No fim, melhor para as donas da casa que levou o público ao delírio fechando o set em 23 a 21 com uma largadinha de Bárbara Seixas.
No segundo set, Ágatha e Bárbara Seixas não titubearam. Abriram outra vez uma vantagem de quatro pontos após um ace da carioca. Com as donas da casa na frente, as russas pediram tempo logo no início. 
Não teve jeito. Elas conseguiram permanecer na frente, abrindo 10 a 6 após um bloqueio de Ágatha e que levou a torcida a vibrar bastante. À vontade em quadra, as meninas ficaram em vantagem o tempo inteiro, sem dar chances para as oponentes. E em mais uma largadinha de Bárbara Seixas fecharam o jogo em 21 a 16. 

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p