Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > esportes > INTERNACIONAL

Neymar comenta saída de campo por racismo: "É o que deveria ter feito na 1ª vez"

Craque lembra de episódio no qual foi vítima, em duelo contra o Olympique de Marselha, em setembro, e aprova atitude de jogadores de PSG e Istanbul

Menos de 24 horas depois de decidirem deixar o campo do Parque dos Príncipes por uma acusação de racismo contra o quarto árbitro Sebastian Coltescu, os atletas de PSG e Istambul Basaksehir voltaram ao estádio nesta quarta para concluir o duelo pela Liga dos Campeões. E após a partida, Neymar - que foi um dos comandantes do movimento de abandonar o jogo na terça - comentou a atitude tomada pelos atletas, reiterando sua aprovação.

- A gente tem que fazer isso. Fizemos muito bem. Foi o que deu na minha cabeça, foi o que eu deveria ter feito na primeira vez - afirmou o brasileiro à "Telefoot".

Leia também

O camisa 10 parisiense brilhou na retomada do jogo e marcou três gols na goleada francesa por 5 a 1, mas não deixou de lamentar o episódio da véspera, quando Sebastian Coltescu foi acusado de injúria racial contra camaronês Pierre Webó, membro da comissão técnica do Basaksehir. Neymar lembrou do episódio no qual foi vítima de preconceito no clássico entre PSG e Olympique de Marselha, no dia 13 de setembro.

- É uma coisa muito séria, muito delicada. Infelizmente, ocorreu essa situação, que é bem chata. Aconteceu comigo no começo da temporada. Senti na pele e sei que não é legal sofrer qualquer ato ou insinuação por sua cor, por sua raça - completou o atacante brasileiro.

No episódio da última terça-feira, Neymar e Mbappé apontaram para o árbitro Ovidiu Hategan que não seguiriam no jogo caso o quarto árbitro Sebastian Coltescu não fosse retirado da partida. O movimento ocorreu depois de Webo acusar o auxiliar de racismo, e o atacante Demba Ba liderar um movimento para que os atletas deixassem o gramado do Parque dos Príncipes em protesto.

Em setembro, quando esteve na posição de vítima, Neymar acusou o zagueiro Álvaro González, do Olympique de Marselha, de ter proferido injúrias raciais contra o brasileiro. Na ocasião, o camisa 10 foi expulso por agredir o adversário e se revoltou antes de deixar o campo, usando as redes sociais para relatar o ocorrido.

González negou as acusações, mas especialistas em leitura labial indicaram ao Esporte Espetacular que o espanhol disse para Neymar a palavra "mono", que significa macaco em espanhol. A liga francesa, porém, decidiu absolver González em julgamento realizado dias depois da partida, quando também não puniu Neymar - indicando falta de provas convincentes.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas