Milton vibra com vitória do Vasco e enaltece participação da torcida

Torcedores comparecem em bom público a São Januário e apoiam equipe durante toda a partida, no primeiro triunfo do Cruz-Maltino no Brasileiro

Durante a semana, Milton Mendes e os jogadores pediram aos torcedores que comparecessem a São Januário neste domingo e ajudassem o Vasco contra o Bahia, para superar a derrota na estreia do Campeonato Brasileiro. E a torcida cumpriu seu papel com louvor. Presente em bom público na Colina Histórica, os vascaínos apoiaram o tempo todo, aplaudiram até no intervalo quando o placar ainda estava zerado e fizeram a festa com a vitória de 2 a 1, a primeira do time na competição. Após a partida, o treinador fez questão de agradecer o apoio das arquibancadas e exaltou o esforço de seus jogadores.
- A torcida foi emocionante. Para quem foi protagonista no jogo dentro de campo, foi uma emoção grande. Pedi que viessem e apoiassem. Bateram palmas no intervalo. Lembrei isso aos jogadores. A torcida é tudo. Não podemos fazer nada sem o torcedor. Nossa equipe cresceu e jogou um bonito futebol em muitos momentos. Eles se dedicaram muito. A torcida é nosso alimento diário. Queremos ver nosso torcedor feliz, saltando. Não consigo descrever em palavras o que senti hoje no estádio. Torcida maravilhosa e jogadores dedicados - disse Milton.
Com o resultado, o Vasco conquistou os seus três primeiros pontos no Campeonato Brasileiro e subiu para a 11ª posição. A equipe carioca aguarda o desfecho da rodada para saber em que posição vai terminar. Do outro lado, com a derrota, o Bahia caiu para a quarta posição, com três pontos conquistados.
Confira outros tópicos da coletiva de Milton Mendes:
IMPORTÂNCIA DA VITÓRIA
Essa vitória é enorme. Depois dos 4 a 0 que levamos do Palmeiras, um resultado enganador, dito pelo próprio Cuca, pairava uma desconfiança. A nuvem negra ficou em cima. Mas estamos determinados e sabendo o que estamos fazendo. Fortes e blindados. O torcedor viu uma atuação segura, com variações dentro de campo. Isso me dá alento para mostrar que estamos querendo fazer coisas bonitas.
GOL 400 DE LUIS FABIANO
Esse número 400 é bonito. Luis Fabiano conseguiu isso, tem um caráter grande. Felicidade tê-lo conosco. Tem demonstrado sensibilidade grande. Tem dores no tendão patelar, mas tem treinado, se dedicado. Pela idade, temos que ter algum cuidado com ele. Alex Evangelista tem feito um trabalho extraordinário com as informações sobre os jogadores. Isso vai nos dar tranquilidade.
ESTREIA DE PAULÃO
Estávamos precisando de um "xerife", um "macho". Lá em Portugal dizem que futebol é um desporto para homens de barba rija. Jomar não foi bem no último jogo, mas contamos com ele. O Breno entrou bem. Paulão vinha jogando, foi a terceira vez que eu tentei contratar ele. Não tem história de que precisa de um tempo para jogar. Estávamos precisando de um homem desse
ALTERAÇÕES DURANTE O JOGO
Enquanto Yago e Kelvin fechavam o meio, estávamos compactados. Aí que pensei que estávamos perdendo o meio de campo. Coloquei o Wagner e soltei mais o Kelvin. Encorpamos. Fizeram o gol em uma perda de bola nossa na frente.
LESÕES ATRAPALHARAM PLANOS
Minha ideia era colocar o Manga em cima do Armero, mas depois o jogo pediu outra coisa, mexemos na estratégia. Não imaginava que perderia o Rafael Marques por lesão. Estava previsto o Luis Fabiano jogar 80 minutos. Precisei tirar o Jean. O Luis é um capitão que assume a responsabilidade. Participou muito mais, fez diagonais, deu passe, fez gols... Isso nos dá um alento muito grande. Está chegando em um momento bom dele. Isso é bom para todos.
LESÃO DE RAFAEL MARQUES
Triste foi a lesão do Rafael. O Paulão e Breno têm maturidade, só precisam se conhecer. Vamos fazer um churrasco para eles (risos). Provavelmente eles que vão jogar o próximo jogo. O Breno ainda faltou ritmo, tempo de bola. Mas o time equilibrado encurta as linhas e supera as dificuldades.
PRÓXIMOS DESAFIOS
Estamos no caminho certo. Não estamos eufóricos com a vitória e também não estávamos deprimidos com a derrota para o Palmeiras. O processo é longo de levantar a autoestima.
TRABALHO NO VASCO
Chegou alguém que gosta das coisas corretas. Gosto muito de trabalho. O nível de exigência é alto, e a competitividade também. Precisamos estar sempre no nosso limite.
QUAL O TIME IDEAL PARA O VASCO?
O time ideal em um campeonato tão longo não existe. Considero que estamos resgatando alguns jogadores que estavam esquecidos. Além dos meninos, o Wagner voltou a jogar. Nossa equipe cresceu com as novas alternativas. Queríamos não levar gol, mas não conseguimos.
OPÇÕES
Sou um facilitador, olho quem está melhor e defino estratégias. Optei pelo Consendey por ser primeiro volante. Andrezinho não é, Gallo não é. Conto com eles, com o Nenê. Todos têm o meu respeito. A tendência o que o jogo pede e quem estiver melhor.
NECESSIDADE DE REFORÇOS?
Nunca falei em entrevista nada que fosse expondo jogador, pedindo reforço. O Brasileiro é muito longo. Estou feliz com o número de jogadores que tenho. Vamos colocar os jovens e fazer essa transição. Já colocamos o Paulo Vitor, o Bruno Cosendey e o Mateus.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p