Massaranduba nocauteia Jai Herbert e salva os brasileiros no card preliminar na

Veterano é o único representante do Esquadrão Brasileiro a ter o braço levantado na primeira parte do UFC desse sábado

Na luta de encerramento do card preliminar, o peso-leve Francisco Massaranduba mostrou que a diferença de quase dez anos para o inglês Jai Herbert não seria um grande problema se o coração estivesse em dia. Com muita raça, mesmo após ser castigado em diversos momentos na luta, o brasileiro provou que tem a mão pesada e derrotou o inglês por nocaute a 1m30s do terceiro round. Após a luta, Massaranduba revelou que subirá para o peso-meio-médio e desafiou Mike Perry e Donald Cerrone.
- Eu sempre digo que bater é fácil, aguentar até o fim é que é difícil. Olha aqui a minha cara toda cortada, mas eu estou aqui para a guerra. Vou subir para o peso-meio-médio, botar uma carcaça de homem, e os caras que me esperem. Tá muito difícil bater esse peso aqui. Eu fiz a dieta errada, comi uma comida errada aqui. Sou cozinheiro, né? Tô mandando o recado pros caras do meio-médio. Eu quero lutar com o Mike Perry, é uma luta boa. Tem o Cerrone que também luta nos 77kg, e mais um que é canhoto... Tô atrás do bônus pra comprar uma casa pra minha mãe... - disse o brasileiro após a luta.
A luta começou com Herbert fintando muito os golpes na curta distância, e Massaranduba com a guarda alta e fechada, e atacando o inglês, mantendo-o pressionado junto à grade após um direto de esquerda no rosto do rival. Com tranquilidade, o brasileiro derrubou Herbert, caindo por cima junto à grade. O inglês se defendeu, mas expôs o pescoço, e viu Massaranduba encaixar uma guilhotina, que por pouco não encaixou. O brasileiro não dava espaço a Herbert, e após derrubá-lo novamente, tentou um mata-leão, e depois desferiu cotoveladas e socos de cima para baixo. No fim do round, já aparentando algum cansaço, o brasileiro recebeu uma joelhada no rosto e tentou a derrubada, mas caiu por baixo. O inglês, no entanto, não teve tempo para trabalhar no chão.
Na volta para o segundo round, Jai Herbert acertou um direto de direita que derrubou Massaranduba. por cima do brasileiro no chão, o inglês dominou as costas e passou a tentar encaixar um mata-leão. Massaranduba se defendia, mas não conseguia livrar-se da posição. Após muito esforço, o brasileiro voltou a lutar em pé, mas o cansaço era claro. Mais inteiro fisicamente, Herbert fintava e desferia socos e chutes que incomodavam Massaranduba. O brasileiro tentava reagir, mas sentia o desgaste.
No terceiro round, mesmo com Jai Herbert mostrando estar mais inteiro fisicamente, Massaranduba mostrou que tem poder de nocaute ao acertar um direto de esquerda na cabeça do inglês que o deixou desorientado. O brasileiro ainda esperou que o árbitro Herb Dean encerrasse o combate, mas como ele não interrompeu a luta, Massaranduba acertou mais quatro golpes para que o nocaute fosse declarado.
Lesão no olho decreta derrota de Raphael Bebezão
Um azar do peso-pesado brasileiro Raphael Bebezão foi responsável pela sua derrota para o canadense Tanner Boser. Um golpe de esquerda do canadense na metade do round afetou o olho do brasileiro, que acabou sofrendo o nocaute técnico aos 2m36s do segundo round.
Os dois lutadores começaram o combate cautelosos, mantendo a distância e evitando se arriscarem no raio de ação um do outro. Tanto Bebezão quanto Boser desferiam chutes baixos, mas o canadense fintava para tentar acertar overhands no brasileiro.
Na volta para o segundo round, Bebezão passou a tentar ser mais agressivo e tentar se aproximar para derrubar Boser. O canadense seguia apostando na movimentação e nos overhands. Na metade do round, no entando, um golpe de esquerda de Boser afetou o olho de Bebezão, que sentiu e recuou, caindo junto à grade. O canadense aproveitou para desferir uma série de golpes que obrigaram o árbitro Herb Dean a encerrar a luta.
Sonolenta, Bethe Correia perde para Pannie Kianzad
Primeira dos oito atletas brasileiros a subir no octógono neste sábado, a peso-galo Bethe Correia teve uma atuação inconstante neste sábado. A brasileira levou desvantagem na trocação contra a sueca Pannie Kianzad, e foi derrotada por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 29-28).
O primeiro round começou com as duas atletas trocando golpes no centro do octógono, e Bethe Correia tentou, sem sucesso, a derrubada com um single leg. Mais veloz que a brasileira. Pannie Kianzad conectava os golpes com mais precisão, e tinha um jogo de pés mais eficiente. No fim do round, Bethe se confundiu com o o sinal de 10s para o fim do round e, achando que o round havia acabado, deu as costas para a sueca, que encaixou dois ou três golpes duros antes do intervalo.
Na volta para o segundo round, a brasileira recebeu um golpe duro logo no início, e aproveitou um desequilíbrio de Kianzad para cair por cima no chão. A sueca tentou encaixar uma chave de braço, defendida pelor Correia. Kianzad aproveitou uma brecha da brasileira para se levantar, e voltou a levar vantagem na luta em pé até o intervalo.
Em vantagem na luta por ter vencido claramente os dois rounds iniciais, Pannie Kianzad diminuiu o ritmo no início do terceiro round, e Bethe Correia conseguiu conectar melhor seus golpes. Mas a sueca voltou a acertar uma boa combinação de upper e direto que abalou a brasileira. Bethe Correia tentou derrubar a rival, mas não conseguiu. As duas apresentavam ferimentos no rosto, mas mesmo assim continuavam buscando a luta. A brasileira ainda conseguiu mais uma derrubada antes do fim da disputa.
Jesse Ronson finaliza Nicolas Dalby
Com uma atuação muito intensa, o o peso-meio-médio canadense Jesse Ronson finalizou o dinamarquês Nicolas Dalby aos 2m48s do primeiro round na penúltima luta do card preliminar, conquistando a sua primeira vitória em quatro lutas no UFC - foi derrotado por Francisco Massaranduba, Michel Trator e Kevin Lee por decisões divididas.
A luta começou acelerada, com Dalby buscando os chutes altos, enquanto Ronson aguardava para aproveitar uma brecha na defesa do dinamarquês para atacar. E a chance apareceu na metade do round, quando Dalby abriu espaço junto à grade e recebeu um jab certeiro, que o derrubou. Ronson aproveitou para cair por cima do rival e, após desferir algumas cotoveladas, dominou as costas de Dalby e encaixou um mata-leão, encerrando a luta,
Tom Aspinall vence Jake Collier com nocaute-relâmpago
O peso-pesado inglês Tom Aspinall chegou com autoridade ao UFC. Com um nocaute sobre o americano Jake Collier, que estreava na categoria após passar pelo peso meio-médio e pelo peso-médio, em apenas 45s de luta, Aspinall fez a estreia dos sonhos na organização, nocauteando rapidamente e sem sofrer danos.
Assim que a luta começou, Collier apresentou alguns chutes altos que não atingiram Apinall. O inglês aproveitou a maior mobilidade para acertar uma joelhada no corpo do americano e, logo em seguida, conectou uma combinação de jab e direto que derrubou Collier, e obrigou o árbitro a encerrar a disputa.
Movsar Evloev se mantém invicto contra Mike Grundy
Em um duelo bastante disputado, o peso-pena russo Movsar Evloev venceu o inglês Mije Grundy por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 29-28) e aumentou para 13-0 o seu cartel invicto no MMA. Grundy sofreu apenas a segunda derrota em 14 lutas como profissional.
O primeiro round foi muito disputado e muito técnico. Os dois lutadores mostraram habilidade na luta em pé e, principalmente, na luta agarrada. Grundy iniciou a disputa pressionando Evloev, e conseguiu encaixar um triângulo de mão justo, e o russo teve muito trabalho para escapar da posição quando parecia que seria finalizado.
Os dois lutadores seguiram buscando o combate intensamente no segundo round, e Grundy mostrava muita habilidade nas tentativas de queda. Evloev, por sua vez, aparentava estar melhor fisicamente, e além de resistir ao jogo de quedas do inglês, levava vantagem na trocação. As estratégias não mudaram no terceiro round, mas Grundy, mesmo conseguindo derrubar o russo, não conseguiu mantê-lo no chão. Muito atento ao rival, Evloev conseguiu conectar muito mais golpes que o inglês durante toda a luta e saiu vencedor do octógono.