Luiz Outerelo chora por erro em salto, e Brasil fica em último no trampolim

Dupla de Ian Matos, brasileiro se desequilibra em salto e por pouco não cai com as pernas dobradas na água, na final do trampolim 3m sincronizado

"É difícil a gente treinar quatro anos para um momento que dura um segundo", desabafou Luiz Felipe Outerelo, com olhos marejados, na saída da piscina (com água ainda verde) do Centro Aquático Maria Lenk após a prova de trampolim de 3m sincronizado, em parceria com Ian Matos. Os saltos ornamentais, definitivamente, são cruéis. E qualquer deslize pode resultar em um grande erro e prejudicar o resultado final. Foi o que sentiu na pele o jovem carioca de 25 anos nesta quarta-feira na estreia da dupla em Jogos Olímpicos.
No segundo da série de seis saltos, o atleta se atrapalhou na saída e não conseguiu esticar as pernas corretamente no ar, o que prejudicou consideravelmente a sincronização. Os árbitros deram 28.80 para o salto, nota considerada muito baixa. No fim, os brasileiros ficaram com o oitavo e último lugar, com 332.21 pontos. O resultado não foi uma surpresa, pois o Brasil havia garantido vaga na final por ser país sede da Rio 2016 e não tem a mesma tradição das demais superpotências que competiram. Na saída da piscina, Outerelo não conteve a emoção. Com os olhos cheios de lágrima, revelou ter ficado abalado após erro, disse que disputou o restante da prova chorando e agradeceu o apoio que recebeu do parceiro e dos torcedores, amigos e familiares nas arquibancadas, que aplaudiram os atletas apesar do resultado.
- Eu tive um problema em meu pulo para a ponta e infelizmente não tinha condições de fazer meu salto no ar. Fiz o que pude. Fiquei extremamente abalado na hora. Não parava de chorar um segundo. Se não fosse o Ian, minha técnica, a torcida, eu não teria chegado ao fim da prova. A torcida só ajudou. No momento que a gente estava bem, eles ajudaram. No momento que eu fui mal, eles me colocaram para cima. E depois de todo o resultado, mesmo assim me acolheram - desabafou Luiz Felipe Outerelo.
O paraense Ian Matos, de 27 anos, fez boa prova e buscou dar apoio ao companheiro de equipe:
- Hoje eu estava em um dia muito bom. Desde que acordei eu falava com ele que estava bem, que a gente ia saltar bem. Na última competição, na Itália, aconteceu o contrário. Eu estava muito nervoso, ele que me ajudou. Sei o quanto um salto pode atrapalhar. Quando a gente erra o salto, a gente tem duas reações. Ou a gente vai para cima, ou a gente se rende. E eu sabia que o Luiz não ia deixar isso acontecer. Eu sabia que tinha que me manter firme, porque se eu me desesperasse não ia ser bom para ninguém. Não deixei o salto dele me abalar. Somos uma dupla. O que acontece com ele reflete em mim também. Tive que me manter forte por mim e por ele.
O ouro ficou com a dupla da Grã-Bretanha, Jack Laugher e Chris Mears (454.32), atuais campeões europeus e terceiros colocados no Mundial de 2015. Foi a primeira prova na Rio 2016 que não teve vitória de duplas da China. Superpotência da modalidade, o país asiático foi representado pela dupla Yuan Cao e Kai Qin, e não ficou sequer com a prata, que coube aos americanos Sam Dorman e Mike Hixon (450.21). Os chineses tiveram que se contentar com o bronze (443.70).
Confira a programação dos Saltos Ornamentais da Rio 2016:
12/08  -  Trampolim 3m feminino - Preliminar (Juliana Veloso)
13/08  -  Trampolim 3m feminino - Semifinal    
14/08  -  Trampolim 3m feminino - Final     
15/08  -  Trampolim 3m masculino - Preliminar (César Castro)
16/08  -  Trampolim 3m masculino - Semifinal e Final  
17/08  -  Plataforma 10m feminino - Preliminar (Ingrid Oliveira)
18/08  -  Plataforma 10m feminino - Semifinal e Final   
19/08  -  Plataforma 10m masculino - Preliminar (Hugo Parisi)
20/08  -  Plataforma 10m masculino - Semifinal e Final 

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p