Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > esportes > INTERNACIONAL

‘Hong Kong odeia Messi’ Ausência do craque causa revolta na China

Três dias após alegar lesão e não jogar contra time de Hong Kong, Messi atuou por 30 minutos contra equipe japonesa

Lionel Messi está dando o que falar na reta final da pré-temporada do Inter Miami. A notícia da vez é a indignação da população chinesa com a postura do astro nos últimos dois amistoso da equipe. No último domingo (4), o argentino alegou uma lesão e deixou de entrar em campo contra o Hong Kong Team, em território chinês. Acontece que três dias depois, Messi entrou em campo no Japão, em amistoso contra o Vissel Kobe. A postura causou revolta na imprensa chinesa, que acusa o craque de desdenhar de Pequim.

Segundo apuração da AFP, muitas pessoas foram da China Continental até Hong Kong para acompanhar o astro argentino e o valor dos ingressos custava até 500 dólares. O público presente no estádio, que acompanhou o Inter Miami vencer por 4 a 1 sem sua principal estrela, vaiou o discurso de David Beckham, proprietário do clube, e cobrou reembolso do valor dos ingressos. Nesta sexta (9), a organizadora do evento Tatler Asia determinou o estorno de 50% do valor dos tickets.

Leia também

A gota d'água, entretanto, aconteceu três dias depois. O Inter Miami disputou um amistoso no Japão, contra o Vissel Kobe, e Messi atuou por 30 minutos saindo do banco. A postura foi encerada como um desrespeito pela população chinesa.


				
					‘Hong Kong odeia Messi’ Ausência do craque causa revolta na China
Messi se prepara para entrar no jogo contra o Vissel Kobe, do Japão. Philip FONG / AFP

O tablóide nacionalista Global Times destacou que o amistoso contra Hong Kong foi o único que Messi deixou de participar na pré-temporada do Inter Miami, em um editorial que questionou a integridade do camisa 10 e acusou forças estrangeiras de conspirarem para prejudicar a reputação do território chinês semiautônomo.

E a chuva de críticas ao craque não parou por aí: Regina Ip, uma assessora de alto escalão do governo de Hong Kong afirmou por meio de sua conta no X, que a população do território odeia Messi e o Inter Miami e que o craque nunca deveria retornar. 'Suas mentiras e hipocrisias são nojentas', acrescentou.

Messi afirmou que a ausência no amistoso não passou de um 'azar', e que espera retornar a Hong Kong assim que possível. Em março deste ano, a Seleção Argentina tem compromissos marcados em território chinês.

Enquanto isso, a imagem de Messi segue sendo alvo de desgaste na opinião pública. Nas redes sociais, o assunto Messi foi um dos mais comentados na rede social Weiboo. O pedido de desculpas do astro recebeu uma enxurrada de memes, como por exemplo a imagem que colocava Messi em um uniforme de soldados imperialistas japoneses, fazendo alusão à participação do astro no amistoso contra o Vissel Kobe.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas