Ex-presidente da Ferrari afirma que notícias sobre Schumi 'não são boas'

Em evento na Itália, Luca di Montezemolo diz se manter informado sobre estado de saúde do ex-piloto, com quem trabalhou na escuderia italiana

Amigo próximo de Michael Schumacher nos tempos de Ferrari, Luca di Montezemolo, ex-presidente da famosa montadora italiana, falou sobre o estado de saúde do alemão durante um evento de automóveis na Itália. O ex-dirigente afirmou que tem se mantido informado sobre o estado de saúde do heptacampeão mundial de Fórmula 1, mas não tem recebido boas notícias. O ex-piloto de 47 anos recebe acompanhamentos médicos em casa, na Suíça. Porém, há mais de um ano não há informações oficiais sobre seu estado de saúde em razão de uma grande blindagem por parte da família e do staff dele.

- Schumacher? Eu constantemente me informo sobre ele, e, infelizmente, as notícias não são boas - confessou à revista "Quattroruote".

O ex-presidente seguiu lamentando o infortúnio ocorrido com Schumacher em dezembro de 2013, quando bateu a cabeça em uma pedra após uma queda enquanto esquiava nos alpes franceses.

- Ele foi um grande piloto, com quem compartilhamos uma grande relação humana e profissional. Tive o prazer de termos filhos quase que simultaneamente também. Mas a vida é estranha. Ele é o piloto de maior sucesso da Ferrari e teve apenas um sério acidente em sua carreira, em 1999 - e não foi por culpa dele. Infelizmente, acabou caindo enquanto esquiava, acidentalmente, e isso o arruinou - lamentou Montezemolo, com voz embargada, segundo a publicação.

Luca di Montezemolo presidiu a Ferrari de 1991 a 2014. Sob sua gestão, a Ferrari atravessou a era mais vitoriosa de uma equipe na história da Fórmula 1, conquistando cinco títulos de Mundial de Pilotos, de 2000 a 2004 com Michael Schumacher, e outros cinco do Mundial de Construtores. No período do dirigente no comando, foram conquistados também o Mundial de Pilotos de 2007, com Kimi Raikkonen, e os títulos de equipes de 2007 e 2008.