Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ESPORTES

Bia fecha ranking olímpico em 20º e aguarda confirmação para Paris

Brasileira também busca vaga pelas duplas ao lado de Luisa Stefani


				
					Bia fecha ranking olímpico em 20º e aguarda confirmação para Paris
Bia Haddad comemora ponto em Roland Garros. Tim Clayton/Corbis via Getty Images

A brasileira Beatriz Haddad Maia fechou o ranking de tênis da WTA em 20ª do mundo, nesta segunda-feira, e aguarda a confirmação da vaga na modalidade simples para os Jogos Olímpicos de Paris. De acordo com as regras, os 56 tenistas mais bem classificados da WTA e da ATP até o dia 10 de junho de 2024 carimbam o passaporte. A divulgação oficial da ITF sai até o dia quatro de julho.

A paulistana deve se juntar à conterrânea Laura Pigossi, que conquistou a primeira vaga do Brasil na modalidade ao vencer o Pan-Americano de Santiago, em 2023. Nas duplas, Bia segue em 46º lugar e busca um lugar em Paris ao lado de Luisa Stefani, 13ª do ranking. As duas anunciaram a parceria para os Jogos em abril, durante a Billie Jean King Cup, em São Paulo.

Leia também

Duplas em Paris

A classificação para as Olimpíadas para duplas é um pouco diferente. Serão 32 times cada gênero, com o máximo de dois por país. Os 10 melhores jogadores de cada um dos rankings de duplas (ATP e WTA) entram automaticamente, desde que tenham disponível um parceiro do mesmo país no top 300. As demais vagas serão distribuídas de acordo com as colocações combinadas às dos parceiros. Equipes que já possuem jogadores qualificados para um evento de simples, como pode ser o caso de Bia, têm a prioridade.

Nas duplas mistas, apenas atletas já classificados para simples ou duplas podem participar. Serão 16 equipes, com o limite de uma por país. A qualificação também é decidida pelos rankings combinados dos parceiros.

O Brasil possui apenas uma medalha olímpica no tênis até hoje. A dupla formada por Luísa Stefani e Laura Pigossi conquistou o bronze nos Jogos de Tóquio 2020, ao vencer as russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova de virada.

No masculino, Thiago Wild e Thiago Monteiro, 71º e 76º do mundo, respectivamente, também concorrem às vagas, pela regra de cotas olímpicas de cada país.

Entenda a classificação do simples para Paris 2024

Os 56 primeiros atletas dos rankings da WTA e da ATP conquistam a classificação automática de acordo com o posicionamento atingido até o dia 10 de junho de 2024, logo após Roland Garros. No entanto, há uma cota máxima de quatro atletas por país que deve ser respeitada. Dessa forma, atletas como Wild e Monteiro podem carimbar o passaporte, mesmo não figurando no topo da lista.

No total, 64 atletas de cada gênero vão disputar as Olimpíadas. Outras seis vagas já foram definidas pela Federação Internacional de Tênis (ITF) a partir de resultados no Pan 2023, Jogos Asiáticos 2022 e Jogos Africanos 2023. Além da qualificação tradicional, campeões olímpicos ou de Grand Slams também podem receber convites.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas