Saiba o que as equipes alagoanas precisam fazer para se classificar na Série C

Azulão está perto de garantir sua classificação para a próxima fase da Terceirona; já o ASA ainda luta para sair da zona de rebaixamento

A Série C caminha para a reta final de sua primeira fase. Faltando apenas seis de 18 jogos, 18 pontos ainda estão em disputa. Contudo, com base naquilo que cada equipe vem apresentando, já é possível se fazer prognósticos sobre os representantes alagoanos. E para orientar o torcedor sobre o que seu time precisa fazer daqui em diante, a Gazetaweb traz a probabilidade para classificação e rebaixamento, apesar de o lanterna ASA ainda seguir com chances de avançar.
Portanto, comecemos pelo líder do grupo A, o CSA, que tem dois pontos de vantagem sobre o vice-líder Fortaleza, além de oito à frente do Cuiabá, quinto colocado. Mas apesar da boa fase, a liderança isolada ainda não garante o Azulão no mata-mata da Série C - avançando, o time do Mutange terá somente mais duas partidas para figurar entre os quatro clubes garantidos na Série B do ano que vem. 
É que o Azulão ainda depende de combinação de resultados para avançar à fase eliminatória se quiser a vaga vencendo apenas três dos seis confrontos que restam. O detalhe é que o CSA terá apenas mais dois jogos como mandante. 
Em casa, o time de Ney da Matta segue invicto, mas também somou pontos importantes longe de Maceió - venceu Sampaio Corrêa-MA e Salgueiro-PE, empatando com o Remo-PA. No Rei Pelé, foram quatro vitórias e três empates, perfazendo um aproveitamento de mais de 71%. 
E apesar de jogar a maioria das partidas fora de casa, quatro dos seis adversários que ainda vão enfrentar (Moto Club, Confiança-SE, Fortaleza e Cuiabá), apenas o Tricolor do Pici tem um bom aproveitamento dentro de casa, superior a 77%. As demais equipes somam menos de 45% cada, o que pode favorecer a equipe azulina.
Quanto a rebaixamento, a chance é praticamente nula, apesar de, matematicamente, esta possibilidade ainda existir. Hoje, a diferença para o primeiro clube a figurar no Z2, o Confiança, é de 11 pontos. Caso a distância seja mantida, com mais duas vitórias do CSA, esta possibilidade viria a ser descartada em definitivo. 
No entanto, se considerarmos edições anteriores da competição, quando a Série C passou a ser disputada no formato atual, nenhuma equipe com mais de 22 pontos chegou a ser rebaixada. Portanto, os mais otimistas já podem se apegar à média observada entre os anos de 2012 e 2016*. 
Já para a classificação, estima-se que uma consegue já se garantir nas quartas de final com 27 pontos, de modo que, hoje, o Azulão precisaria de apenas mais quatro para se aproximar do acesso.
ASA
A situação do Gigante, porém, é bem diferente. Acostumado a brigar na parte de cima da tabela da Série C, este ano, a equipe alvinegra não faz um bom Campeonato Brasileiro. Com apenas duas vitórias e na lanterna do seu grupo, equipe arapiraquense dá a entender que, em 2017, a briga vai ser mesmo para escapar da degola.
Mesmo ainda havendo possibilidade de classificação, esta é considerada remota, já que a equipe precisaria fazer uma campanha de líder, vencendo no mínimo cinco confrontos dos seis restantes para chegar aos 27 pontos - nos últimos quatro anos, apenas duas equipes se classificaram com pontuação inferior a esta. 
Já para para fugir do Z2, precisaria de mais três vitórias e um empate, considerando a média alcançada pelas equipes que escaparam do rebaixamento nas últimas edições da Série C.
Nesta reta final, o Alvinegro enfrenta, em Arapiraca, Fortaleza, Moto Club, Cuiabá e Confiança. Longe de seus domínios, terá pela frente Salgueiro e Botafogo, com ambos os rivais ainda lutando por uma vaga no G4.
* O Campeonato Brasileiro da Série C de 2013 não entrou nos cálculos para média de classificação, pois, foi disputado com 11 equipes no Grupo A.