Pastana afirma que limite de técnicos na Série B não afeta planejamento do CSA: "Reflexo zero"

Diretor-executivo de futebol do Azulão não acredita que nova regra irá interferir no restante da temporada

Uma nova regra trazida pela CBF e aprovada pelos clubes tomou conta dos tablóides na última semana. A partir de 2021 os clubes da segunda divisão poderão apenas demitir o treinador uma vez, tendo o limite de dois técnicos durante toda competição. Dos 20 clubes participantes, 18 foram a favor da nova regra, inclusive o CSA.

Em contato à Gazetaweb, o executivo de futebol do CSA, Rodrigo Pastana, minimizou a nova regra, garantindo que o Azulão não será prejudicado com a nova parte do regulamento.

"No caso do CSA o reflexo é zero em nosso planejamento, pois nossa decisão pela renovação e permanência do Mozart e sua comissão veio antes do final da Serie B 2020. Temos a convicção que a continuidade sempre foi e será o melhor caminho", disse o diretor.

Mozart é técnico do Azulão há pouco mais de seis meses e seu trabalho é bastante elogiado por torcedores e diretoria. Inclusive, o professor chegou ao Azulão em setembro de 2020, ao lado do próprio Rodrigo Pastana. Entretanto, em 2020, o CSA trocou de treinador três vezes, o que já extrapolaria o limite imposto pela CBF. Pastana ainda completou elogiando a medida.

"Fará bem aos clubes que tem convicções sobre suas escolhas (metodologia, contratação, modelo de jogo, etc). O clube que toma decisões com base em somente no resultado da partida terá grandes problemas; não que ele não seja importante, mas como processos, o resultado se torna consequência" completou Pastana.

Na última temporada, o time marujo teve 4 treinadores, sendo eles: Maurício Barbieri, Eduardo Baptista, Argel Fuchs e, por último, Mozart. O atual técnico azulino tem 19 vitórias em 38 jogos, e contrato com o Azulão até dezembro de 2021.

A nova regra foi aprovada nas três primeiras divisões nacionais, e na Série B, 18 clubes foram a favor, menos o Londrina e o Vila Nova, que votaram contra.