No Agreste alagoano, CSE vence Coruripe de virada por 4 a 3 em partida emocionante

Após terem começado mal no estadual, equipes fazem partidaça no Juca Sampaio; Tricolorido vence a primeira no ano

A partida isolada do sábado teve de tudo: frango do goleiro, gols, pênalti, estreias e, principalmente, emoção. Pela terceira rodada do Alagoano, CSE e Coruripe se enfrentaram no Juca Sampaio em Palmeira dos Índios para tentar fugir da zona do rebaixamento. Quem se deu melhor no encontro foi o Triclorido, que bateu o Hulk por 4 a 3, e enfim conquistou sua primeira vitória em 2021.

O jogo

A partida foi no estilo de qualquer amante de futebol. Coruripe entrou em campo pela primeira vez no Estadual, e estava longe de ser o favorito do confronto. Entretanto, não demorou muito para mudar isso, já que com apenas nove minutos de jogo abriu 2 a 0. Everson deixou o dele com três minutos, após uma falha do zagueiro tricolor. O pesadelo ficou maior quando aos 9' o goleiro Alexandre aceitou um chute fraco de Leandro Sardinha, decretando o 2 a 0.

Jaelson não demorou para mudar, e fez alterações no primeiro tempo. As mudanças parecem ter surtido o efeito mais rápido do que o esperado. Cristiano conseguiu diminuir de cabeça e dar um controle maior para o time palmeirense. Entretanto, o time de Palmeira dos Índios não quis esperar muito e em lance na área, Beto puxou o atacante do Tricolorido, cometendo pênalti. O camisa 9 Alan bateu bem, levando o CSE ao empate ainda no primeiro tempo.

O Coruripe não tinha Robson Santos no banco por conta da COVID-19, e começou o segundo tempo num pesadelo maior do que o final da primeira etapa. Com apenas 1 minuto da etapa complementar, Pará também fez de cabeça, revelando uma dificuldade que puniu o Hulk o jogo inteiro. O CSE virava para 3 a 2, e já parecia estar aliviado pelas circunstâncias.

O milagre em Palmeira não ficou só nessa virada, porque com 6 minutos do segundo tempo, em novo cruzamento pelo lado direito, o meia de 17 anos, Jupí, desviou de cabeça para o fundo da rede, aflorando toda sua emoção por seu primeiro gol na carreira. Até aí, já eram 4 a 2 para o CSE e a equipe alviverde vivia um pesadelo gigantesco em muito pouco tempo. O time praiano se atirou para tentar voltar a partida, mas nada dava certo, a não ser um chute de rara felicidade por parte de Gustavo, um golaço que Alexandre não poderia defender.

Antes da metade do segundo tempo, o jogo já estava com 4 a 3 no marcador. O Coruripe se atirou para o ataque, para evitar que o CSE ganhasse os três pontos após uma atuação primordial e de redenção. Thiago Militão, o auxiliar, tentou mudar a equipe, mas não deu certo. O Tricolor em meio a defesa segura e as ceras de seus jogadores se segurou e venceu por 4 a 3 num jogo mágico.

Futuro

CSE agora vai mais aliviado, e parcialmente dentro do G4, vai ter um clássico com o ASA fora de casa, neste sábado (13) às 17h, buscando finalmente engatar e subir na classificação. O Hulk segue na lanterna com 0 ponto, com a água batendo no pescoço, viaja novamente, agora pra enfrentar o CEO também no sábado, às 19h. O estádio ainda será definido pela federação.

Ficha técnica:

CSE: Alexandre; Renato, Jan Pieter (Cesar Pinto), Cristiano e Caetano; Evandro (Luizinho), Jair Amaral, Jupí (Emerson) e Everlan (Gabriel Afonso); Stuart (João Vitor) e Alan. Técnico: Jaelson Marcelino

Coruripe: Stênio; João Felipe, Jessé, Beto (Rafael) e Jordan; Jadson, Polinho, Leandro Sardinha e Hudson (Gustavo); Mateus Brito (Zé Arthur) e Everson. Técnico: Thiago Militão