Na Ressacada, CSA fica no empate com o Avaí e dorme no G4 da Série B: 1 a 1

Azulão ocupa a 4ª posição, com 55 pontos; time começou à frente no placar, com gol de Dellatorre; já os catarinenses marcaram com Getúlio

Em um jogo tenso e nervoso, apesar de bem movimentado, CSA e Avaí não saíram do empate, por 1 a 1, na noite desta segunda-feira (8), na Ressacada, em Florianópolis-SC. A partida isolada abriu a 35ª rodada da Série B do Brasileiro.

Agora, com este resultado, o Azulão é o 4º colocado na tabela, figurando provisoriamente no G4, com 55 pontos. Já o Avaí ocupa a 3ª posição, somando 58 pontos. O CSA marcou o seu gol no primeiro tempo, com Dellatorre, artilheiro isolado do Azulão, com 11 tentos. Já o Avaí fez o dele com Getúlio, na etapa complementar. Clique aqui para ver o Tempo Real

Na próxima rodada, o time alagoano vai receber o Confiança, ainda nesta semana, na sexta-feira (12), às 21h30, no Rei Pelé. Enquanto o time catarinense vai enfrentar o Guarani, no Brinco de Ouro, em Campinas-SP, às 16 horas do próximo sábado (13).

Primeira etapa

CSA é o 5º colocado, com 59 pontos, e ainda briga por acesso graças, também, à inteligência ofensiva do centroavante - Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

O jogo começou tenso, com dois chutes no gol para cada equipe, mas todos foram na direção errada, ainda chegando aos 5 minutos de bola rolando. Os dois times estavam nervosos. Em uma das tentativas, Iury Castilho, do CSA, achou espaço na frente da área do Avaí, mas chutou fraco. Já pelo lado do Avaí, Lourenço arriscou de fora da área e mandou para fora, sem perigo para o Azulão do Mutange.

Aos 11 minutos, após cobrança de escanteio do Avaí, Bruno Silva chutou com perigo, mas o goleiro Thiago Rodrigues fez uma grande defesa, salvando o CSA de levar o gol. A pressão era do time catarinense, nesse momento, enquanto o Azulão ficava muito atrás. Aos 12 minutos, o goleiro azulino caiu em campo, pensava-se que ele sairia, mas ele seguiu em campo.

Aos 15 minutos, uma boa tentativa do CSA se deu com Yuri. Renato Cajá levantou a pelota na segunda trave e ele cabeceou com perigo, mas viu a bola bater na trave. No lance seguinte, Copete ficou cara a cara com Thiago Rodrigues, tentou fazer de cobertura, mas o zagueiro azulino tirou de peito. A partida passava dos 20 minutos e o CSA aos poucos ia equilibrando as ações, começando a se soltar mais no ataque. Aos 25 minutos, Iury Castilho dominou, após lançamento de Matheus Felipe, e chutou, surpreendendo o goleiro, ao mandar com perigo, e a bola passou raspando o travessão de Glédson.

Passando dos 30 minutos, o CSA trocava passes, trabalhava na defesa, sem pressa, esperando apenas a hora certa para poder finalizar. E, em uma dessas finalizações deu certo. Após linda jogada de Iury Castilho, na linha de fundo, a bola sobrou para Gabriel. Ele bateu forte, Glédson deu o rebote e Dellatorre só fez mandar para o fundo da rede, abrindo o placar para o Azulão alagoano, aos 35 minutos: 1 a 0.

O Avaí tentou aos 38 minutos. Jean Cleber (ex-CSA) chegou batendo, com perigo, a bola desviou na zaga do Azulão e foi para escanteio. Aos 45 minutos, de novo o Avaí, em busca do gol de empate. Mas o CSA tinha Thiago Rodrigues e o goleirão defendeu uma bola perigosa de Getúlio, que bateu de fora da área. E com os acréscimos determinados pelo árbitro, a primeira etapa chegou ao final aos 50 minutos, quando o Avaí ainda tentou com uma bomba de Alemão, mas o goleiro azulino espalmou, garantindo a vitória parcial do CSA por 1 a 0.

Segundo Tempo

CSA e Avaí não saíram do empate por 1 a 1 - Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

No início da etapa complementar, o goleiro do CSA Thiago Rodrigues segurou a bola, deu um chutão e caiu no gramado, aos 5 minutos. E, por retardar o reinício da partida, acabou levando um cartão amarelo bobo. Passando dos 10 minutos só dava Avaí em campo, em busca do gol da igualdade, levando sufoco ao CSA, que prendia muito a bola.

Aos 13 e aos 14 minutos, o time catarinense teve dois escanteios em seu favor, mas em ambos a bola foi afastada pela defesa do Azulão alagoano, que se segurava como podia. Só dava Avaí e, aos 20 minutos, Getúlio pegou a bola, de primeira, e chutou, mas ela subiu muito e foi para fora. Era um verdadeiro bombardeio em direção ao gol de Thiago Rodrigues.

E o que tanto o Avaí queria, ele conseguiu, aos 23 minutos: o gol. Copete deixou Kevyn a ver navios, levantou a redonda na medida e Getúlio, livre, só fez mandar de cabeça para deixar tudo igual na Ressacada: 1 a 1. E o time catarinense não estava satisfeito com o empate e seguiu pressionando o CSA, em busca do gol da virada.

O time alagoano, a essa altura, chegando perto dos 30 minutos, já nem atacava mais, só fazia se defender. Aos 28’, Getúlio pegou muito mal na pelota, mas o Leão Azul controlava as ações do jogo, empurrado por sua torcida. A partir de então, as duas equipes começaram a fazer suas respectivas substituições entre os titulares.

Chegando aos 40 minutos, o empate continuava e só dava Avaí em campo, que tentava a todo o custo o gol da virada. Por outro lado, o CSA se segurava enquanto podia. A essa altura o jogo era nervoso. Mais mudanças vieram nos dois times. Aos 44 minutos, o Avaí tentou. Valdívia abriu para João Lucas, que mandou na área do CSA, mas a defesa cortou o perigo. O árbitro decretou 6 minutos de acréscimos e o jogo foi até os 51 minutos, com a igualdade no marcador: 1 a 1.

Momento do tenso jogo Avaí x CSA, na Ressacada - Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

FICHA TÉCNICA

Avaí – Glédson; Edílson, Alemão, Betão e João Lucas (Renato); Bruno Silva, Lourenço (Jonathan), Jean Cléber (Wesley) e Vinícius Leite (Valdívia); Copete e Getúlio (Marcos Serrato). Técnico: Claudinei Oliveira.

CSA – Thiago Rodrigues, Éverton Silva, Lucão e Matheus Felipe; Kevyn, Geovane, Yuri (Clayton), Gabriel (Gabriel Tonini) e Renato Cajá (Giva Santos); Iury Castilho (Marco Túlio) e Dellatorre (Rodrigo Rodrigues). Técnico: Mozart Santos.

Árbitro – Marielson Alves Silva (BA).

Assistentes – Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA).

Quarto árbitro – Diego da Costa Cidral (SC).

VAR – Emerson de Almeida Ferreira (MG).