Mozart sobre a disputa pelo terceiro lugar: “Nós somos funcionários do clube e temos que jogar. Simples assim!”

Na briga pela terceira colocação, Azulão vence o Murici por 2 a 0 e dá um grande passo para conseguir vaga na Copa do Brasil do próximo ano

Na tarde deste sábado (9), o Murici recebeu o CSA no Estádio José Gomes da Costa, e perdeu por dois gols de diferença (2x0). Em coletiva à imprensa, realizada após o término do jogo, o técnico azulino, Mozart Santos, destacou pontos importantes no duelo.

Ainda chateado pela eliminação para o principal rival, na última quarta-feira (6), Mozart deixou subtendido que não concorda com o regulamento atual do Campeonato Alagoano. Pois, apesar de o Azulão ser o líder absoluto durante quase todo o torneio, não obteve vantagem.

“Eu não vou entrar no mérito do regulamento [do campeonato estadual], pois nós fomos o primeiro lugar disparado na competição e não tivemos nenhuma vantagem. Nós somos funcionários do clube e temos que jogar [o terceiro lugar]. Simples assim!”, finalizou.

Sobre os pontos destacados por ele em relação à partida foram: o estado precário do gramado e os desgastes emocional e físico, que pesaram muito na partida.

Didira e Marcel foram os destaques do jogo, ambos marcaram e deixaram o Azulão beliscando uma vaga - que será decidida em jogos futuros - para disputar a Copa do Brasil de 2023.

O estádio foi o principal adversário de ambos os times, o gramado bastante danificado atrapalhou o andamento da partida. Mozart comentou também que o resultado da partida foi mérito da raça dos jogadores. “O campo estava impraticável, não tem muito o que avaliar na parte coletiva, no jogo em si. Enfim, o que se deve ressaltar é o espírito”.

Além dos buracos aparentes, o gramado estava repleto de poças de lama. Vale lembrar que o jogo de volta acontece na próxima terça-feira (12), onde o CSA vai receber o Verdão da Mata, na casa do futebol alagoano, o Estádio Rei Pelé, em Maceió.