Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
X
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

Léo Pereira comenta sobre estilo curioso de seus shorts: "Desde menino na várzea"

Ponta-esquerda regatiano também falou da obrigação de vencer o Guarani neste sábado (22)


				
					Léo Pereira comenta sobre estilo curioso de seus shorts: "Desde menino na várzea"
Léo Pereira em entrevista coletiva. CRB TV

Na tarde desta quinta-feira (20), o atacante Léo Pereira concedeu entrevista coletiva a CRB TV, onde falou sobre a expectativa para o jogo de sábado (22), em casa, contra o lanterna Guarani e até se arriscou a falar de moda "futebolística" durante a coletiva, quando comentou sobre o uso de seu short nos jogos.

O atleta foi questionado sobre a seca de gols que ele vivia até o jogo contra o Paysandu. E se a falta de constância balançando as redes incomodava o atacante.

Leia também

"Com certeza. Eu procuro sempre melhorar em relação ao terço final, para que eu tenha jogadas para finalizar. Sempre peço pro treinador, pros auxiliares que possam me dar esse suporte. Eu comecei a criar esse hábito durante os treinos e me cobro sempre para que posso acontecer nos jogos", afirmou o ponta-esquerda.

O jogador garantiu que a vitória contra o Guarani terá um peso diferente tanto para os atletas do Galo quanto para a torcida. E já pode ser considerada obrigação.

"Nós sabemos que todos os jogos nos temos obrigação de vencer. Tanto os jogadores quanto os torcedores têm esse pensamento vencedor. Então sim, virou uma obrigação nossa. Nos vamos buscar essa vitória sim", enfatizou.

Léo encerrou, explicando o motivo de usar o short levantado - bem perto das coxas - durante as partidas, e como tem influenciado principalmente os torcedores mais jovens a aderirem a este estilo.

"O pessoal sempre me pergunta sobre isso e a resposta é simples. Começou quando eu jogava na várzea, ficava cansado, levantava o short, a camiseta. E eu sempre tive esse costume, desde menino, e depois que me tornei jogador profissional eu comecei a usar este estilo, mesmo alguns clubes me proibindo. Graças a Deus hoje as pessoas aceitam normalmente", encerrou o jogador regatiano.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas

X