Desempenho do CSA no interior cearense deixa presidente apreensivo

Azulão tem duas baixas para decisão contra o Parnahyba. Em compensação, Didira deve fazer reestreia, enquanto Jeferson Maranhense fica à disposição

Após a vitória apertada contra o último colocado da chave - o Guarani -, o elenco do CSA chegou à capital alagoana no início da manhã desta segunda-feira, após longa viagem até Juazeiro do Norte (CE), onde, nesse domingo, conquistou mais três pontos pelo grupo A6 da Série D. Agora, o elenco azulino só volta às atividades nesta terça, visando à decisão contra o Parnahyba, domingo, às 18h, no Estádio Rei Pelé. Até lá, o técnico Oliveira Canindé terá de promover ajustes, já que até o presidente Rafael Tenório se mostrou apreensivo com o desempenho do time marujo.
Nesse domingo, o Azulão vencia fácil (3x0), mas caiu de produção na segunda metade da etapa final ao ponto de sofrer dois gols e ver a vitória ameaçada. Por isso, a performance do time no Estádio Mauro Sampaio desapontou o presidente azulino:
- A vitória foi importante, mas a apresentação não foi boa. Nossa equipe é qualificada, mas ainda não apresentou um resultado convincente, à exceção de quando goleou este mesmo Guarani em Maceió.
O alto mandatário azulino já admite mais uma ou duas contratações, além do meia Didira, no caso de classificação. Porém, não adiantou para quais posições deverá contratar.
Com a vitória por 3x2 sobre o Guarani - além do empate em 1x1 entre Parnahyba e Central -, o CSA passou a líder isolado do grupo, com 10 pontos. Mas, para não depender de combinação de resultados, precisa ganhar no próximo domingo. É que o Central - que, assim como o Parnahyba, soma oito pontos - irá a 11 se vencer o Guarani, podendo assumir a liderança da chave, em caso de empate do CSA, no saldo de gols.
Por ora, o saldo do Azulão é amplo: sete, contra apenas um do Central. O Parnahyba, o outro concorrente, só eliminaria o CSA em caso de vitória em Maceió.

Baixas, voltas e ingressos

Para a decisão contra o Parnahyba, de quem perdeu na estreia por 2x1, o CSA tem duas baixas por causa do terceiro cartão amarelo: o quarto-zagueiro Leandro Souza e o lateral-esquerdo Rafinha. No primeiro caso, o substituto pode ser Leandro Cardoso. Já Kelvin, também lateral, deverá assumir a vaga de Rafinha.

E quem já está à disposição da comissão técnica é o atacante Jeferson Maranhense, que não enfrentou o Guarani porque foi expulso diante do Central. O meia Didira, por sua vez, deve fazer sua reestreia no Azulão.

Quanto à expectativa de público para o duelo do domingo, os ingressos estarão à venda a partir da quarta-feira, aos preços de R$ 15 para a arquibancada baixa, R$ 25 para a alta, e R$ 100 para o setor de cadeira especial.

Os pontos de venda são os já conhecidos pela torcida azulina: Quiosque do CSA (Maceió Shopping), CT Gustavo Paiva (Mutange), Poly Sport (Centro e Shopping Pátio), Loja Rota do Surf (Benedito Bentes I), Restaurante Pimenta de Cheiro (Trapiche) e Novo Posto (Cidade Universitária, próximo ao Aeroporto Zumbi dos Palmares).