De virada, CSA vence o Vasco, em pleno São Januário, e sobe uma posição na tabela: 3 a 1

Gols do Azulão foram de Renato Cajá e de Dellatorre, que marcou duas vezes; agora time alagoano é o 7º colocado na tabela, com 48 pontos

CSA e Vasco se enfrentaram, na noite desta sexta-feira (29), e fizeram um jogo bastante movimentado, de qualidade. E quem se deu melhor foi o Azulão, que venceu o Cruzmaltino, de virada, por 3 a 1, em pleno São Januário, que recebeu um bom público, após as flexibilizações no Rio de Janeiro, devido à pandemia da Covid-19.

A partida foi válida pela 32ª rodada da Série B. O gol do Vasco foi de Germán Cano, de pênalti, na etapa inicial, abrindo o placar. O CSA fez os dele com Renato Cajá, um belo gol de falta, também na primeira etapa, e com Dellatorre, o gol da virada, e mais um, de pênalti, ambos na segunda etapa.

Com o resultado, o Azulão passa para a 7ª posição, agora com 48 pontos. Enquanto o Cruzmaltino é o 8º colocado, com 47 pontos. Clique aqui para ver o Tempo Real

Na rodada seguinte desta Segundona, o time azulino voltará a campo já no feriado desta terça-feira (2 de novembro), contra o Vitória, às 16 horas, no Barradão, em Salvador-BA. E o Vasco estará em campo, nesta 33a rodada, contra o Guarani, na quinta-feira (4), às 19 horas, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas-SP.

Primeiro tempo

Jogadores do CSA fazem a festa em São Januário - Foto: André Fabiano - Zimel Press - Estadão Conteúdo

O Vasco já começou assustando, logo aos 30 segundos de bola rolando. O chute de Cano tinha endereço certo, mas Thiago Rodrigues fez a grande defesa, salvando o CSA. Em seu primeiro ataque, o time azulino chegou a fazer o gol, aos 2 minutos, mas o árbitro, após consultar o VAR, acabou anulando, pois marcou toque no braço de Iury Castilho. Os times começaram a partida com tudo!

O jogo chegava aos 15 minutos, estava bem movimentado e o que se via era que o CSA estava jogando de igual para igual com o time carioca. Aos 15 minutos, em um lance entre Ernandes e Cano, o jogador do Vasco caiu dentro da área, o árbitro nada marcou e, depois de muita reclamação dos vascaínos, ele olhou no VAR a acabou marcando. Aos 19 minutos, Cano foi para a cobrança e guardou no fundo da rede: 1 a 0 para o Vasco.

Mas o CSA não desanimou com o gol. E, aos 24 minutos, após uma falta sobre Renato Cajá, ele mesmo cobrou, do meio da rua, e fez um belo gol em São Januário, deixando tudo igual: 1 a 1. Como resposta, aos 25 minutos, o Vasco quase marcou. Após lançamento longo no ataque, Morato tentou encobrir Thiago Rodrigues, mas o goleiro tirou e a zaga afastou a sobra.

Chegando aos 30 minutos, a partida era boa de se ver, com os times motivados, jogando com raça, vontade e determinação. Exatamente aos 30’, Dellatorre viu o goleiro adiantado e tentou surpreender, de longa distância, mas a bola não pegou o efeito desejado e foi para fora. De novo o CSA tentou e assustou, aos 32 minutos: Cajá recebeu na entrada da área e chutou forte, uma bomba de pé esquerdo, a bola passou bem perto, mas foi para o lixo.

O jogo seguia e, quase chegando aos 38 minutos, o CSA pressionava os vascaínos que, apesar de terem mais a posse de bola, pecava no ataque, enquanto o time azulino estava melhor em campo. Aos 40min, quem chegou com perigo foi o Cruzmaltino. Cano arriscou de fora da área, mandando uma bomba, mas viu a bola passar por cima.

O árbitro deu 5 minutos de acréscimos ao primeiro tempo empolgante, que foi encerrado aos 50 minutos, com a igualdade no placar: 1 a 1.

Segundo tempo

Momento do jogo entre Vasco e CSA, em São Januário, no Rio de Janeiro - Foto: André Fabiano - Zimel Press - Estadão Conteúdo

Como no primeiro tempo, o Vasco começou assustando. Aos 2 minutos, Riquelme entrou com muita velocidade e arriscou o chute de perna canhota, mas a bola passou perto e foi para fora, para sorte do CSA. O duelo passava dos 5 minutos e o time azulino se postava todo no campo de defesa.

Aos 11 minutos, o Azulão tentou. Após contra-ataque rápido, Dellatorre recebeu pela esquerda, invadiu a área e finalizou, mas Lucão fez a boa defesa. O tempo ia passando e o CSA já não era o mesmo do primeiro tempo, tinha perdido o fôlego. Isso o jogo chegando aos 22 minutos, quando o Vasco começou a criar um ritmo de jogo melhor.

O técnico Mozart Santos passou a promover as modificações em sua equipe, gastando as cinco, afinal, o CSA já tinha começado a perder o gás. E o Vasco seguia pressionando, enquanto o Azulão tentava ir nos contra-ataques. Nisso, o duelo já passava dos 30 minutos.

Chegando aos 35 minutos, o panorama do jogo era: o Vasco só na pressão, pelos lados e com muitos cruzamentos; e o CSA, que levava sufoco, só se segurava. Mas, aos 37’, o Azulão fez o segundo gol, o da virada. Giva Santos trombou no meio de vários defensores do Vasco, a bola sobrou para Dellatorre, que deu só um biquinho no canto de Lucão: 2 a 1.

Passando dos 40 minutos, e com o placar em seu favor, o Azulão passou a se segurar para garantir o resultado. O Vasco sentiu o gol e conduzia o jogo meio desanimado, e o CSA se fechou, só querendo que o duelo acabasse.

O árbitro deu cinco minutos de acréscimos. Aos 46’, o Azulão quase fez o terceiro. Em contra-ataque do CSA, Clayton foi lançado no ataque, invadiu a área sozinho, mas, na hora da finalização, foi travado por Riquelme. O árbitro viu o lance no VAR e assinalou pênalti em favor dos azulinos. Dellatorre foi para a cobrança e guardou, aos 48 minutos, dando números finais à partida: 3 a 1. Em seguida, o árbitro só fez dar o apito final.

Em confronto direto pelo G-4, CSA venceu o Vasco da Gama em pleno São Januário - Foto: Dhavid Normando/Futura Press/Estadão Conteúdo

Ficha Técnica

VASCO - Lucão; Zeca (Jhon Sánchez), Ricardo, Leandro Castán; Riquelme, Bruno Gomes (João Pedro), Andrey (Daniel Amorim); Marquinhos Gabriel, Morato, Cano; Gabriel Pec (Léo Jabá). Técnico: Fernando Diniz.

CSA - Thiago Rodrigues; Éverton Silva (Giva Santos), Matheus Felipe, Lucão; Ernandes (Kevyn), Geovane, Yuri; Renato Cajá (Gabriel Tonini); Gabriel (Marco Túlio), Dellatorre; Iury Castilho (Clayton).

Árbitro – Marielson Alves Silva (CBF-BA).

Assistentes – Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (CBF-BA).

Quarto árbitro – Paulo Renato Moreira da Silva Coelho (CBF-RJ).

VAR – Wagner Reway (Fifa-PB).

Auxiliar do VAR – Oberto da Silva Santos (CBF-PB).