CSE quebra tabu histórico, vence o ASA por 2 a 1 e larga na frente por vaga na Copa do Brasil

Tricolor conseguiu virada no segundo tempo e Ademir Fonseca perde sua invencibilidade no comando do ASA

Ainda tem Alagoano rolando. Na tarde deste domingo (23) o CSE recebeu o ASA no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios, em partida válida pelo jogo de ida da seletiva para a Copa do Brasil 2021. O time palmeirense conseguiu uma pequena vantagem ao vencer por 2 a 1, com gols de Alan James e Cristiano. Johnnathan descontou para os arapiraquenses.

Com o placar, o CSE só precisa empatar no confronto em Arapiraca, que acontece na próxima quarta-feira (26), às 16h. O vencedor do confronto se juntará a CSA e CRB como representantes alagoanos na Copa do Brasil 2022.

O jogo

Com características de clássico, o alagoano viu uma partida bem equilibrada. Apesar disso, foi o ASA quem começou em cima. Logo com 10 minutos da etapa inicial, o polivalente Johnnathan fez uma grande jogada partindo sozinho do campo de defesa até chegar cara a cara com o goleiro Alexandre e abrir o placar. Com a vantagem, o Alvinegro recuou e assistiu o CSE pressionar até conseguir o gol aos 44 minutos da primeira etapa. Alan James estava livre na área e deu um toque sútil para empatar: 1 a 1, ainda deixando o atacante na busca pela artilharia.

O empate só deixou as coisas ainda mais equilibradas para a etapa final, com chances boas para ambos os lados. Entretanto, a rede só voltou a balançar aos 16 minutos do segundo tempo, com Cristiano. O zagueiro se aproveitou da melhor jogada do Tricolor, e mandou de cabeça para virar a partida. O ASA tentou até o fim, mas não conseguiu o empate. Com o 2 a 1, o CSE fica mais perto da Copa do Brasil.

Tabu quebrado

O CSE tirou um peso enorme das costas. O time de Palmeira dos Índios não vencia um clássico do interior desde 2006, ou seja, 15 anos sem uma vitória. Agora a responsabilidade fica do lado alvinegro, que não ganhou nenhum dos três clássicos em 2021.

Ficha técnica

CSE - Alexandre; Renato, Eduardo Bahia, Cristiano e Jackson; Jair Amaral (Jan Pieter), Emerson e Dakson (Everlan); Cleiton, Luizinho (Jupi) e Alan James. Técnico: Jaelson Marcelino

ASA - Dida; Lázaro, Caíque Bahia, Marcelo e Ítalo; Johnnatan, Carlos Magno (Dinda) e Thiago Potiguar (Joanderson); Gabriel, Vinícius (Fernandinho) e Edson Kappa (Xande). Técnico: Ademir Fonseca

Cartões Amarelos - Renato (CSE); Emerson (CSE); Gabriel (ASA); Lázaro (ASA); Thiago Potiguar (ASA) e Fernandinho (ASA)

Árbitro - Jose Ricardo Vasconcellos Laranjeira

Assistentes - Antonio Ibiapina Alvarenga e Francisco Raimundo Cunha de Freitas Junior

Quarto árbitro - Eder Gregori Viana Silva