CSA vence o Floresta e assume a vice-liderança do Grupo A da Copa do Nordeste: 2 a 0

Gols do Azulão, que agora soma 6 pontos, foram marcados por Marco Túlio e Lucas Marques, um em cada tempo;

Em jogo válido pela Copa do Nordeste, nesta terça-feira (8), CSA e Floresta-CE se enfrentaram pela 3ª rodada, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, e o Azulão se deu bem: venceu o time cearense, por 2 a 0, e assumiu a vice-liderança do Grupo A. Os gols do CSA foram assinalados por Marco Túlio, no finalzinho do primeiro tempo, e por Lucas Marques, também no finalzinho, mas da segunda etapa. Veja como foi o Tempo Real!

Este foi o primeiro confronto na história entre as duas equipes. E, com este resultado, o CSA pulou para a 2ª colocação na tabela, com 6 pontos, ou seja, figurando na vice-liderança do Grupo A.

Essa foi a 2ª vitória seguida do time azulino na competição, que está com 100% de aproveitamento. Já a equipe cearense amarga a lanterna, com apenas 1 ponto, fruto de um empate neste Nordestão.

O próximo compromisso do Azulão pela Copa do Nordeste será contra o rival CRB, já neste domingo (13), no Rei Pelé, às 18h30. Lembrando que Azulão e Galo já se enfrentaram no sábado passado (5), mas pelo Alagoano, e deu vitória azulina por 1 a 0. Já o Floresta vai receber o Campinense-PB, também no domingo (13), no Vovozão-CE, às 16 horas.

1º Tempo

CSA dominou quase o jogo todo e fez um gol em cada tempo - Foto: Ailton Cruz

Na etapa inicial, o CSA foi quem começou assustando no comecinho, quando teve uma cobrança de escanteio, após Gabriel avançar e tentar o cruzamento, mas a jogada deu em nada. O Floresta respondeu aos 2 minutos, também com escanteio, mas o goleiro Marcelo Carné defendeu bem, tirando o perigo.

O Floresta tocava a bola, deixava o tempo passar, mas o CSA tinha a iniciativa do jogo, enquanto o adversário tentava se defender. Chegando aos 10 minutos, em tentativa azulina, após levantamento de Marco Túlio na área, Gabriel se esticou todo, tentou chutar, mas pegou mal na bola e acabou perdendo a chance.

Aproximando-se dos 20 minutos, o CSA teve uma chance, quando Gabriel recuperou a bola no ataque, rolou para Marco Túlio, que cruzou para Lucas Barcelos finalizar, mas ele foi atrapalhado pela zaga oponente e mandou para fora.

O Azulão tinha caído um pouco de ritmo, apesar de ter o domínio do jogo. Tentava, mas o problema era que pecava no último lance e não acertava na hora de finalizar. O fato era que a postura do Verdão, recuada e de forte marcação, atrapalhava o jogo pensado pelo técnico Mozart. Nisso, a partida se aproximava dos 30 minutos e não tinha havido nenhuma chance clara de gol por parte do time alagoano.

Aos 32 minutos, o panorama não tinha mudado: CSA pressionando, mas sem conseguir acertar o pé na hora da finalização. Em outra boa oportunidade, quase Rodrigo Rodrigues abriu o placar. Gabriel finalizou, a bola ficou pipocando na área até Lucas Barcelos tentar chutar, mas o zagueiro Alisson jogou para longe. Aos 37min, o CSA teve um escanteio em seu favor. Mas na cobrança ensaiada, a defesa do time cearense afastou.

Momento da felicidade de Marco Túlio, quando abriu o placar para o CSA - Foto: Ailton Cruz

O jogo chegava aos 40 minutos e o CSA tentava, pressionava, trabalhava a bola no campo de ataque, mas não tinha êxito, pois o Floresta seguia todo recuado. O árbitro acrescentou 4 minutos ao primeiro tempo, que passava e o placar não saía do zero a zero.

Mas eis que, aos 45 minutos, veio o gol azulino: Cedric fez o cruzamento, a bola desviou em Dudu, no meio da área do Floresta, e sobrou para Marco Túlio só mandar para o fundo da rede: 1 a 0. E, sem tempo para mais nada, a primeira etapa foi encerrada, aos 49 minutos, com a vitória parcial do Azulão, por 1 a 0.

2º Tempo

CSA pressionava, mas tinha dificuldade na hora de finalizar - Foto: Ailton Cruz

O CSA começou a 2ª etapa buscando o segundo gol. Aos 2min, Marco Túlio cobrou o escanteio mandando na primeira trave, mas a defesa do Floresta tirou. Aos 6min, a pressão seguia sendo do Azulão. Marco Túlio finalizou, a zaga cortou e, no rebote, Gabriel deixou dois marcadores para trás, mas o assistente já marcava impedimento na jogada.

As duas equipes passaram a promover mudanças, com o jogo chegando aos 10 minutos. Aos 15min, o time azulino quase fez o segundo. Luiz Henrique, que tinha acabado de entrar, cruzou, Marco Túlio desviou de cabeça, mas no rebote do goleiro, Rodrigo Rodrigues, livre, acabou mandando direto para fora.

Chegando aos 20 minutos de bola rolando, o CSA apertava a saída de bola do Floresta, controlava as ações do jogo, por ter mais qualidade e seguia incomodando o adversário. Nesse mesmo minuto, Ernandes cobrou uma falta, mas chutou em cima da barreira e o CSA perdeu a chance de ampliar o placar.

O tempo passava e o Floresta não levava perigo algum ao Azulão. O jogo passou a ficar fraco, caiu muito em qualidade. Aos 29min, em tentativa do time cearense, Fábio Alves mandou a bola de bicicleta, mas ela foi direto para fora. Aos 35 minutos, foi a vez de Didira perder um gol feito, na hora de chutar, ele se atrapalhou e o chute saiu errado, desperdiçando a chance do CSA.

Lucas Marques fez o segundo tento do Azulão na partida - Foto: Ailton Cruz

E quando Didira botou a bola no fundo da rede, aos 38 minutos, o árbitro assistente não validou o gol, porque a jogada do meia azulino foi em impedimento. Aos 42min, outro lance de perigo do Azulão: Yann Rolim jogou a bola na pequena área, Werley fez o desvio de cabeça, mas viu Marcão fazer uma grande defesa para livrar o que seria o segundo gol do CSA.

Mas aos 44 minutos, veio o segundo gol azulino, após várias tentativas. E foi de Lucas Marques cobrando falta, por cima da barreira. Um belo gol do Azulão, que definiu o placar no segundo tempo: 2 a 0.

Floresta não conseguiu barrar o Azulão - Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CSA – Marcelo Carné; Cedric, Wellington, Werley e Ernandes; Geovane (Lucas Marques), Giva (Luiz Henrique) e Gabriel (Yann); Marco Túlio, Lucas Barcelos (Didira) e Rodrigo Rodrigues (Dalberto). Técnico: Mozart Santos.

Floresta – Marcão; Lito (Pedro Igor), Yan Souto, Alisson e Fábio Alves; Jô, Dudu e Athyrson (Pedro Rosa); Yago Rocha, Matheus Bahia (Eugênio) (Renê) e Flávio Torres. Técnico: Ricardo Drubscky.

Árbitro – Diego Pombo Lopez (CBF-BA).

Assistentes – Elicarlos Franco de Oliveira (CBF-BA) e Ledes José Coutinho Neto (CBF-BA).

Quarto árbitro – Helder Brasileiro de Aquino (CBF-AL).