CSA tem o desafio de administrar "pendurados" nesta decisão de título

Azulão está com mais de meio time correndo o risco de não ter condições de jogo na última partida do Campeonato Alagoano

A julgar pela quantidade de jogadores "pendurados", o CSA está em desvantagem na sua volta à decisão de título, após jejum de três anos. É que o Azulão entra em campo neste domingo, para o primeiro jogo das finais, com mais de meio time ameaçado de ficar de fora da partida de volta, no dia 8 de maio.
São sete os jogadores correndo o risco de não entrarem em campo no sgeundo jogo da final porque acumulam dois cartões amarelos. Dois deles são titulares absolutos: lateral-esquerdo Rafinha e volante Jean Cléber. Porém, neste domingo, o meia Cleyton pode continuar no time de cima, já que foi titular no treino dessa quinta-feira. Completa a lista dos "pendurados" o lateral Hudson, o zagueiro Walter, o meia Bismarck e o atacante David Denner.
Do lado do rival, apenas três jogadores acumulam dois cartões amarelos: volante Somália, meia Dakson e atacante Neto Baiano.
Nestas finais, ninguém tem a vantagem, com o CSA, dono da melhor campanha na competição, tendo conquistado apenas o direito de ser o mandante no segundo confronto. Daí é que, se a igualdade prevalecer nas duas partidas, haverá prorrogação, com possibilidade, ainda, de cobranças de pênalti para se conhecer o campeão alagoano da temporada 2016.
Sobre o time que treinou nesta sexta-feira, o treinador Oliveira Canindé acabou repetindo a mesma formação de ontem, com Jeferson, Henrique Choco, Douglas, Leandro Souza e Rafinha; Jean Cleber, Didira, João Paulo, Luiz Soares, Cleyton; e Rafael Oliveira.