Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
X
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

CSA entra em fase final de processo para a escolha de novo treinador; veja nomes especulados

Azulão espera avançar nas tratativas com o profissional escolhido nesta quinta-feira (22)

Após a saída de Mozart Santos, o CSA deve definir o nome do seu novo treinador ainda esta semana. Enquanto a diretoria conversa com alguns profissionais, a equipe treina sob orientação do auxiliar Adriano Rodrigues.

Em contato com a GazetaWeb, o executivo de Futebol do Azulão, Rodrigo Pastana, afirmou que as negociações devem avançar nesta quinta-feira (22).

Leia também

Alguns dos profissionais especulados até aqui foram: Eduardo Barroca (ex-Botafogo), Rafael Guanaes, do Sampaio Corrêa, Allan Aal, do Guarani, Marcelo Chamusca, do Botafogo e Marcelo Oliveira (sem clube), além de outros nomes mantidos em sigilo.

Após conversar com a imprensa esta semana, Pastana ressaltou que a contratação de Mozart não foi um "tiro no escuro" e que esse critério não deve ser levado em conta como escolha.

"Esse negócio de apostar num treinador na base não foi bem o conceito que nós usamos para trazer o Mozart. Ele já estava comigo há dois anos no profissional do Coritiba, então não há possibilidade de trazermos um treinador que não tenha experiência vivida no profissional. Nós queremos, sim, é manter um perfil de conhecimento, de postura, de conduta, pra que a gente aproveite o modelo em jogo. Manter tudo o que foi feito, muito bem feito, diga-se por sinal, pelo Mozart e planejado por toda comissão técnica", disse o executivo.

Além disso, Pastana também deixou claro que um dos critérios de escolha que consta no código de ética do clube, muito prezado pelo presidente Rafael Tenório, em contratar um profissional que se encontra desempregado no mercado, não deve ser levado como prioridade, e que esses detalhes serão discutidos internamente.

"Eu entendo o código de ética que o presidente respeita muito, mas nós não fomos respeitados. A Chape veio aqui e nos tirou um treinador que estava empregado. Não que essa seja a nossa prioridade, mas nós vamos analisar todos os nomes que estejam no mercado, aqueles que estejam dentro de um modelo e um planejamento que a gente construiu desde janeiro e aí, depois, eu vou discutir com o presidente pra ver qual é a melhor solução, independente do treinador estar empregado ou não", afirmou Pastana.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas

X