CSA bate o Vitória em grande exibição e se fortalece na luta pelo acesso: 3 a 0

Azulão fica a um ponto do G-4 com a vitória sobre a equipe baiana; Rafael Bilu, Rodolfo Filemon e Nadson marcaram os tentos do triunfo marujo

Em uma noite inspirada no Rei Pelé, o CSA foi soberano contra o Vitória e bateu os baianos por 3 a 0. O triunfo deixou o Azulão a apenas um ponto do G-4 e complicou o Leão na luta contra o rebaixamento. Os tentos azulinos foram anotados por Rafael Bilu, Rodolfo Filemon e Nadson. A partida foi válida pela 31ª rodada da Série B do Brasileirão.
Com o grande resultado, a equipe azulina sobe uma posição e ocupa agora o 5º lugar, com 48 pontos somados até aqui. Já os rubro-negros ficam a seis pontos da zona do rebaixamento, na 15ª posição, com os mesmos 36 pontos.
As equipes, agora, voltam a campo somente no ano que vem e enfrentarão seus próximos adversários como mandantes. No dia 2 de janeiro, um sábado, às 16h30 o Azulão receberá o Sampaio Corrêa no Rei Pelé. O Vitória, por sua vez, irá encarar o Operário um dia após, às 18h15, no Barradão. As partidas serão válidas pela 32ª rodada da competição. 
Primeira parte
O apito do árbitro nem esfriou e o Azulão já viu o Vitória partir para cima e chegar com perigo com bolas aéreas. Porém, logo na primeira chegada, o time marujo marcou o gol, revidando com a mesma moeda. Pimpão levantou na área e Rafael Bilu apareceu na segunda trave sem marcação, dominou no peito e estufou as redes do Leão aos 4 minutos. Placar aberto no Rei Pelé: CSA 1x0 Vitória.
A equipe baiana, que já não estava tendo um bom início, perdeu o lateral direito Léo, que sentiu a coxa esquerda ao tentar um cruzamento na área azulina e teve que ser substituído. Atrás no marcador, os visitantes seguiram insistindo na bola alçada, mas não conseguiram fazer Thiago Rodrigues trabalhar.
O Azulão, por sua vez, viu brechas no lado esquerdo da defesa rubro-negra e criou a maior parte das suas jogadas ofensivas por esse setor do campo. Rodrigo Pimpão, que deu a assistência para o primeiro tento alviceleste, foi importante para as jogadas aéreas, a maior aposta do time marujo na tentativa de ampliar o placar. O ponta levantou muitas bolas na área e fez com que a equipe do Mutange fosse mais agressiva nas suas chegadas.
Na marca dos 20 minutos, a bruxa, que já tinha assombrado os baianos no início, voltou para completar o seu trabalho. Diego Renan, aos 20, e Rafael Bilu, aos 28 minutos, sentiram a coxa direita e tiveram que ser substituídos por Rafinha e Andrigo, respectivamente. A entrada do lateral-esquerdo e do meia-atacante fizeram o ataque azulino ganhar repertório e investir mais pela esquerda.
Logo em uma das suas primeiras aparições na partida, Andrigo deixou Pimpão de frente para o perigo com um lindo passe que cortou a defesa rubro-negra. Porém, o ponta não aproveitou a grande chance aos 31 minutos e desperdiçou a oportunidade dentro da pequena área.
O camisa 17 do Azulão seguiu insistindo e finalizou com perigo novamente aos 42 minutos. Pimpão arriscou na entrada da área, mas Wallace apareceu na frente e resvalou na redonda, que saiu tirando tinta da trave em escanteio. Na sequência, Nadson cobrou fechado e o goleiro Yuri se atrapalhou com seus companheiros de defesa. Na sobra, a pelota tocou em Rodolfo Filemon e morreu no fundo das redes. 
Pouco depois, o Vitória tentou uma pressão no finalzinho do primeiro tempo, mas não obteve sucesso. O árbitro gaúcho adicionou mais três minutos ao fim dos 45 regulamentares e a etapa inicial chegou ao fim com a vantagem azulina de 2 a 0. 
Etapa complementar
A segunda metade da partida teve o seu início mais calmo em comparação à primeira. O time baiano começou melhor e tomou as primeiras iniciativas na partida, tentando diminuir o placar adverso para entrar no jogo novamente.
Na faixa dos 10 minutos, o time marujo voltou a povoar o campo ofensivo do Vitória. Quando estava sem a bola, os azulinos avançaram as linhas para pressionar a saída de bola do Leão. E deu certo! Nadson apertou e aproveitou uma bobeira da zaga rubro-negra aos 14 minutos, colocou o zagueiro para dançar, mandou com categoria no canto esquerdo e marcou um lindo gol. Placar atualizado no Trapichão: CSA 3x0 Vitória.
Com o terceiro gol, a defesa baiana ficou desestabilizada e o Azulão viu mais brechas para poder provocar perigo nos visitantes. Aos 22 minutos, Gabriel encontrou Paulo Sérgio sozinho na área, que girou, parou e mandou uma bomba no travessão rubro-negro. A chance na pequena área do Vitória marcou o domínio marujo na partida.
O time baiano se viu numa situação difícil e tentou diminuir o estrago de três gols de desvantagem. Léo Ceará quase diminuiu para o Leão aos 29. O centroavante ficou com a bola dentro da área, tirou Castán da jogada e chutou rasteiro. Thiago Rodrigues fez uma grande defesa e não deu chance para o camisa 9 rubro-negro.
Na faixa dos 40 minutos, reta final da partida, o Azulão relaxou e o Vitória se lançou ao ataque, porém, o ataque não se encontrou e passou em branco no Rei Pelé. O árbitro estendeu a partida até os 49 minutos, que chegou ao último apito com o grande triunfo marujo por 3 a 0.
CSA ? Thiago Rodrigues; Norberto (Cleberson), Rodolfo Filemon, Castán e Diego Renan (Rafinha); Geovane (Yago), Gabriel (Marquinhos) e Nadson; Rafael Bilu (Andrigo), Pimpão e Paulo Sérgio. Técnico: Mozart. 
Vitória ? Yuri;  Léo Morais (Van, Maurício Ramos), João Victor, Wallace e Rafael Carioca; Guilherme Rend,  Lucas Cândido (Gerson Magrão) e Eduardo (Marcelinho); Mateusinho (Ewandro), Thiago Lopes e Léo Ceará. Técnico: Mazola Júnior. 
Árbitro ? Vinícius Gomes do Amaral (CBF-RS). 
Auxiliares ? Leirson Peng Martins (CBF-RS) e André da Silva Bitencourt (CBF-RS). 
Quarto árbitro ? Helder Brasileiro de Aquino (CBF-AL).

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p