Cruzeiro de Arapiraca protesta após FAF alterar data de duelo contra o CSA

Federação muda data da volta da Seletiva e não cumpre artigo do regulamento geral; Estrelado acionou seu departamento jurídico

Passando por cima das próprias regras, a FAF divulgou na noite desta sexta-feira (29) a modificação da data do confronto de volta entre CSA e Cruzeiro de Arapiraca, para decidir quem fica com a última vaga de Alagoas na a Copa do Brasil. A partida aconteceria no dia 1° de maio, a solicitação foi feita pelo CSA e acatada pela FAF, com ela, a partida foi alterada para esta segunda (2).

Porém, existe um problema nesta alteração. Segundo o artigo 18 do regulamento da própria Federação Alagoana de Futebol, as modificações de tabela devem acontecer com cinco dias de antecedência:

"Art. 18 – Quaisquer modificações na tabela somente poderão ocorrer se publicadas pelo Departamento de Competições da FAF em um prazo mínimo de 05 (cinco) dias, antes da data programada para a realização da partida e antes da nova data solicitada, devendo este prazo ser respeitado pelos Clubes que desejarem solicitar alguma modificação."

Segundo a justificativa da Federação Alagoana de Futebol, em seu documento, foi informado que a mudança deu-se por conta de quadro físico de alguns atleta azulinos. No documento, ainda afirma-se que o Azulão do Mutange não teria o número mínimo de atletas para serem relacionados.

Apesar de afirmado no documento que o Cruzeiro havia recebido um aviso prévio do pedido da alteração, porém, que não foi aceito pelo Cruzeiro.

As inconsistências não param por aí, o solicitante da modificação, o CSA, se a modificação for mantida, não poderá utilizar de nenhum jogador que atuará contra o Sport, neste sábado (30). A explicação? No regulamento da FAF, existe um parágrafo único que diz:

"Parágrafo único - Os Clubes e atletas profissionais não poderão, como regra geral, disputar partida sem observar o intervalo mínimo de 60 (sessenta) horas, período que pode ser, excepcionalmente, reduzido para 48 (quarenta e oito) horas para fins de adequação de partidas e cumprimento de calendário."

Porém, na última semana, os jogadores William e Lucas Barcelos, atuaram tanto no duelo contra o Bahia (dia 22 de abril) e contra o próprio Cruzeiro de Arapiraca (dia 23 de abril).

Excepcionalmente, o horário poderia ser reduzido para 48h, porém, a Federação não foi condizente com o próprio regulamento a partir do momento em que adia a partida, sem os cinco dias de antecedência. Trazendo o excepcional para a regra.

Devido ao ocorrido, o Estrelado informou irá acionar seu setor jurídico e recorrer da decisão. O solicitante, CSA, ainda não se pronunciou sobre o caso.

Já a FAF informou que recebeu uma notificação do Sindicato dos Atletas, informando a necessidade da realização da partida entre CSA x Cruzeiro, com intervalo mínimo de 66 horas, o que também foi levado em consideração pela FAF para a transferência do jogo para segunda-feira (02). Porém, vale lembra que o duelo de ida foi realizado com 24h de intervalo entre outra partida do Azulão.

CSA venceu o Cruzeiro com virada sensacional nos minutos finais - Foto: Morgana Oliveira

Em contato com a Gazetaweb, o diretor do Estrelado, Wellington Soares deu a versão do Cruzeiro da história. Inclusive, o jogo não tinha previsão para acontecer em maio. O clube arapiraquense, inclusive, teve que prolongar o contrato de seus atletas para o dia 1º, apenas para que conseguissem jogar esse duelo. Caso aconteça na segunda, o clube estará sem jogadores regularizados.

"Para nós do Cruzeiro, o jogo será no dia 1, toda logística nossa foi montada para essa data. Até já prorrogamos os contratos dos atletas, para que este jogo aconteça, porque todos venceram dia 27. O jogo para a segunda-feira (2) infelizmente não temos como fazê-lo, porque não vou ter atleta".

O Cruzeiro lançou uma nota, na noite desta sexta (29), confira:

O Presidente Executivo do Esporte Clube Cruzeiro Arapiraca, lamenta e não concorda com o adiamento da partida contra a equipe do CSA que estava marcada pra este Domingo dia 01/05, jogo válido pela seletiva da Copa do Brasil de 2023. Essa decisão da FAF é uma agressão ao futebol do interior do estado, essa mudança repentina de data de jogo favorece apenas à equipe da capital.

O adiamento da partida tem trazido indignação e também preocupação com o desequilíbrio de decisões. Temos jogadores finalizando seu contrato com o clube e podem acabar não atuando nessa nova data.

A solicitação feita pelo CSA de pedido adiamento da partida infringe o Art.18 do Regulamento da Competição, contudo o Departamento Jurídico do Cruzeiro de Arapiraca entrará com pedido de anulação do adiamento no TJD-AL.