CRB perde para a Portuguesa-RJ e dá adeus precoce à Copa do Brasil de 2022: 1 a 0

Regatas faz mais uma partida muito abaixo do esperado, perde para os cariocas e se despede do torneio na 1ª fase

A zebra apareceu mais uma vez na Copa do Brasil, e agora para perturbar o CRB. Na noite desta quarta-feira (2), o Galo visitou a Portuguesa-RJ, no Estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro. Precisando apenas empatar para avançar, o Galo da Praia acabou saindo derrotado por 1 a 0, de forma histórica. O gol da vitória da Lusa foi marcado por Sanchez e fez jus ao mascote dos cariocas: uma zebra.

Vale ressaltar que, com a eliminação, o Regatas deixou de embolsar mais R$ 750 mil em premiação. Uma campanha totalmente fora do padrão que aconteceu em 2021, quando alcançou as oitavas. Clique aqui e confira como foi o Tempo Real do duelo na Gazetaweb.com!

Após a classificação heroica, a Portuguesa vai enfrentar o Sampaio Corrêa, na próxima fase. A Bolívia Querida também conseguiu sua classificação nesta quarta (2), após ter vencido o Operário de Várzea Grande, por 2 a 1.

Coincidência, ou não, o Galo vai enfrentar justamente o Sampaio Corrêa, em seu próximo compromisso. O duelo, que é válido pela Copa do Nordeste, acontece neste sábado (5), às 16 horas, no Rei Pelé. Pelo Alagoano, o time regatiano entra em campo somente no dia 8, contra o ASA. Já a Lusa encara o Nova Iguaçu, fora de casa, pelo Carioca. O embate será sábado (5), às 11h.

CRB joga muito mal e é eliminado pela Portuguesa-RJ na Copa do Brasil - Foto: Breno Roberto

1º Tempo

O que ocorreu no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, foi um verdadeiro caldeirão feito pelos torcedores rubro-verdes. A condição fez os cariocas partirem para cima. Logo com quatro minutos, Sanchez apareceu bem para tentar cruzar, mas Gilvan cortou. Nos primeiros seis minutos, foram cinco escanteios para a Portuguesa, gerando apreensão total na defesa regatiana. Porém, na última delas, Leandro Amaro não conseguiu marcar.

O CRB logo tentou responder, vindo pelo lado direito, mas foi Guilherme Romão que conseguiu assustar, com uma bomba de fora da área, aos oito minutos. Apesar da chance, o Rubro-Verde seguiu faminto pelo primeiro gol, abusando da bola aérea. Com 15 minutos, foi pelo chão que a Lusa achou o espaço. Sanchez lançou Miller na área, livre, mas o meia finalizou mal e desperdiçou uma bela chance.

Com 18 minutos, Romão resolveu aprontar novamente. Ao tentar um cruzamento pela esquerda, a bola veio venenosa e bateu no travessão de Carlão. Depois desse lance, o jogo ficou um pouco menos frenético, ainda com a Portuguesa tentando ser mais ofensiva e com o Galo segurando-se na defesa. Aos 25', Diego Torres até balançou as redes cariocas, porém, estava em posição irregular.

A primeira finalização no gol regatiano veio somente aos 27 minutos. Romarinho conseguiu roubar de Anselmo Ramon e disparar em alta velocidade. O camisa 10, porém, preferiu finalizar de longe, deixando fácil para Diogo Silva. Quem teve dificuldades foi Carlão, que segurou a finalização de cabeça de Gum, aos 30 minutos, após uma bela cobrança de escanteio.

Com atuação apagada durante o jogo, Diego Torres não conseguiu ajudar o Regatas - Foto: Nathan Diniz

Aos 35 minutos o CRB teve uma chance de ouro para abrir o placar. Gum deu um passe para Anselmo, de cabeça, o centroavante falhou na finalização, mas a bola sobrou para Gilvan, na pequena área, mas o zagueiro mandou mal, chutando para fora. Pouco depois, aos 37, Anselmo Ramon e Raul Prata fizeram uma jogadaça, mas o lateral Joazi, com o peito, salvou os mandantes.

Com o passar do tempo, o clima foi esquentando entre os jogadores em campo, principalmente, com muitas faltas e cartões. Na reta final do primeiro tempo, a Portuguesa tentou abrir-se mais para chegar ao gol. Joazi chegou a fazer boas jogadas na direita, entretanto, não conseguiu finalizar com perigo. Com isso, o primeiro tempo fechou com o parcial de 0 a 0.

2º Tempo

Os times voltaram iguais para o segundo tempo, porém, agora com apenas 45 minutos para decidirem suas vidas. Com um minuto, Jonnathan apareceu livre pela esquerda, mas demorou para finalizar.

Após falha da defesa, Portuguesa achou o gol que lhe daria a vitória - Foto: JOAO GABRIEL ALVES/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Após o jogo ficar bem morno, a Portuguesa encontrou na bola parada uma solução. Após cruzamento na segunda trave, Sanchez aproveitou a sobra e mandou um chutaço no meio da muvuca. A bola só veio morrer dentro das redes de Diogo Silva, após desviar em Gum, com apenas sete minutos na etapa final: 1 a 0 para a Lusa.

O gol foi um balde de água fria no time de Marcelo Cabo, que já não conseguia se encontrar mais em campo. O treinador regatiano mudou, colocando Negueba e Jean Patrick, enquanto tirou Richard e Marthã. A situação não surtiu tanto efeito efetivamente. A melhor chance do CRB no início do segundo tempo, veio aos 19, quando Diego Torres cobrou uma falta, de muito longe e também sem muito perigo.

O Galo seguiu apertando, mudando totalmente a postura do primeiro tempo, onde optou por se defender. Sem alternativas, o clube partiu para as bolas aéreas, mas não funcionava de jeito nenhum. Quem ganhou destaque foram as confusões. Após falta em Bruno Santos, o jogo ficou parado por um tempo e, novamente, os jogadores de Lusa e Regatas entraram em uma pequena discussão.

Jean Patrick tentou na bola parada, com 32 minutos, cobrando com veneno, mas Joazi cortou de cabeça. Porém, para quem achava que o placar estava ruim, Anselmo Ramon tratou de piorar. Aos 34 minutos, o camisa 9 acabou entrando com pé alto, atingindo Jonnathan, da Lusa, sendo expulso logo em seguida.

Com um jogador a menos, Galo não conseguiu o empate, mesmo com vantagem pelo regulamento - Foto: JOAO GABRIEL ALVES/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Com um a menos e no desespero para marcar um gol, o CRB foi amplamente dominado pela Lusa, que conseguiu ter as melhores ações. Com a posse da bola, os cariocas nem deixaram o Galo chegar, e, ainda mais, ficaram bem próximos de marcar o segundo gol. No desespero, Longuine cobrou uma falta de longe aos 44 minutos, mas Claudinei não aproveitou.

O Regatas ganhou alguns minutos para tentar recuperar a vaga na segunda fase. A arbitragem indicou sete minutos de acréscimos. Com 45, Gum tentou jogada e a defesa da Portuguesa afastou. Aos 47, o rubro-verde assustou. Bruno Santos arriscou com perigo, já no rebote, Patrick desperdiçou a chance de matar o confronto. Aos 48 minutos, João Paulo quase fez o segundo, mas Diogo Silva fez uma defesaça.

Aos 50, com uma falta no meio-campo, até Diogo Silva foi para a área, mas Gum finalizou de cabeça, sem olhar e não conseguiu assustar Carlão. Porém, no fim, não deu, o CRB foi eliminado da Copa do Brasil com uma campanha vexatória.

Ficha técnica

Portuguesa-RJ - Carlão; Joazi, Marcão, Leandro Amaro e Sanchez; Sidão (Feitosa), Jhonnatan (André), Miller (Patrick) e Romarinho (João Paulo) e Rafael Pernão; Bruno Santos (Aldevan). Técnico: Toninho Andrade.

CRB - Diogo Silva; Raul Prata (Reginaldo), Gum, Gilvan e Guilherme Romão; Claudinei, Marthã (Jean Patrick) e Diego Torres (Rafael Longuine); Marcinho (Gustavo Apis), Richard (Emerson Negueba) e Anselmo Ramon. Técnico: Marcelo Cabo.

Gols - Sanchez (7'/2T)

Cartões amarelos - Bruno Santos (Portuguesa); Marthã (CRB); Arthur (CRB); Diego Torres (CRB); Leandro Amaral (Portuguesa); Rafael Pernão (Portuguesa); Patrick (Portuguesa)

Cartões vermelhos - Anselmo Ramon (CRB)

Árbitro - Daniel Nobre Bins (CBF-RS)

Assistentes - Michael Stainislau (CBF-RS) e André da Silva Bitencourt (CBF-RS)

Quarto árbitro - Yuri Elino Ferreira da Cruz (CBF-RJ)