No reencontro com Mozart, CSA bate o Cruzeiro com uma virada relâmpago: 2 a 1

Iury marca dois gols em dois minutos e garante a vitória sobre o time comandado pelo ex-técnico do Azulão; equipe maruja chega ao 5º jogo de invencibilidade contra os mineiros

O CSA levou a melhor no reencontro com Mozart. Em uma virada relâmpago, o Azulão fez dois gols em dois minutos e bateu o Cruzeiro, comandado pelo seu ex-técnico, por 2 a 1. Com o triunfo na noite deste domingo (27), a equipe maruja chegou ao quinto jogo de invencibilidade contra os mineiros. A partida, disputada no Rei Pelé, foi válida pela sétima rodada da Série B.

Felipe Augusto abriu o placar para o time celeste logo no início, mas Iury Castilho marcou dois gols seguidos e garantiu os três pontos para o Azulão. A partida também teve a estreia de Renato Cajá com a camisa azulina.

Veja como foi a partida através do Tempo Real da Gazetaweb

Azulão se mostrou soberano em casa e subiu na tabela - Foto: Ailton Cruz

Com este resultado, o Azulão lidera a segunda página da tabela, ocupando a 11ª posição, com oito pontos somados e um jogo a menos. Já a equipe mineira, com os mesmos sete pontos, está na 13ª colocação.

As duas equipes voltam à campo nesta quarta (30), quando encaram seus adversários da oitava rodada. Pela tarde, às 16h30, o Azulão encara a Ponte Preta em Campinas, no Moisés Lucarelli. Posteriormente , às 19h, o Cruzeiro recebe o Guarani no Mineirão, em Belo Horizonte.

Primeiro tempo

O Azulão iniciou a partida sofrendo uma certa pressão, sobretudo em bolas paradas e investidas pelas pontas. E não demorou muito para os mineiros abrirem o marcador. Em cobrança de escanteio, Marcinho levantou para Felipe Augusto se antecipar à zaga e, de cabeça, pintar o 1 a 0 no placar.

Felipe Augusto abriu o placar para a equipe celeste - Foto: Ailton Cruz

Apesar de estar atrás no placar, o time marujo ainda seguiu morno no jogo e, assim como a equipe celeste já fazia, apostou em bolas alçadas na área. Porém, depois dos 20 minutos, os azulinos cresceram muito e conseguiram empatar na faixa dos 27'. Na ponta esquerda, Gabriel cruzou para Iury, de cuca legal, deixar o marcador igualado novamente.

O empate durou apenas um minuto. Logo aos 28', Iury apertou a saída de bola e fez o desarme na ponta esquerda. O camisa 99 ajeitou para a perna direita e fez o cruzamento. Mas, para a surpresa de Fábio, a redonda fez um trajeto venenoso e, com beleza, foi morrer no fundo do gol. Virada relâmpago do Azulão.

Iury tentou cruzar, mas acabou marcando um golaço - Foto: Ailton Cruz

Posteriormente, uma chuva de cartões amarelos cairam no Trapichão. Apesar das muitas faltas e reclamações, que resultaram nas punições disciplinares, o Azulão conseguiu conduzir bem a vantagem até o fim da primeira etapa. Os marujos conseguiram conter potenciais chegadas dos visitantes e investiram algumas vezes. A primeira parte foi estendida em três minutos e chegou ao fim na faixa dos 48.

Segundo tempo

A etapa complementar teve um início mais equilibrado, apesar da vantagem azulina. Porém, a equipe maruja conseguiu pressionar um pouco mais que os celestes. Enquanto o Azulão apostava na jogada de velocidade pelas pontas, o Cruzeiro seguiu levantando na área e, também, investindo na bola parada.

Depois dos 20 minutos, o panorama mudou completamente. O time mineiro acordou na partida e se lançou ao ataque. Os marujos, apesar de ter só um volante em campo, ficou mais acuado e teve que se defender. Aos 25 minutos, os celestes criaram uma grande chance num chute de fora da área de Adriano, mas o goleiro Thiago Rodrigues pulou bonito e fez uma grande defesa.

Após ver o Cruzeiro dominar a partida e desenvolver o jogo no seu campo, o Azulão usou a velocidade e, por pouco, não chegou ao empate. Silvinho recebeu em profundidade e saiu de frente para o perigo. O camisa 11 driblou o goleiro Fábio e teve o gol aberto para marcar, mas não teve calma, se desequilibrou, e mandou na rede pelo lado de fora.

A reta final foi marcada por uma pressão celeste. Apesar de ter sua defesa bastante exigida, o Azulão até chegou a marcar um gol com Bruno Mota, mas o meia estava em posição de impedimento. Com a partida estendida, no primeiro momento, em seis minutos e, posteriormente, em sete, os mineiros voltaram a fazer o famoso "chuveirinho", mas a partida foi encerrada aos 52' com o triunfo azulino.

Mozart levou a pior no seu primeiro jogo contra o CSA - Foto: Ailton Cruz

Ficha técnica

CSA - Thiago Rodrigues; Cristovam, Matheus Felipe (Wellington), Lucão e Vitor Costa; Geovane, Giva Santos (Bruno Mota) e Gabriel (Silas); Yago, Iury (Silvinho) e Dellatorre (Renato Cajá). Técnico: Bruno Pivetti.

Cruzeiro - Fábio; Ramon, Joseph e Weverton (Matheus Pereira); Raul Cáceres, Mateus Barbosa, Rômulo (Adriano) e Felipe Augusto; Marcinho (Claudinho), Bruno José (Airton) e Guilherme Bissoli (Thiago). Técnico: Mozart.

Árbitro - Rodrigo Batista Raposo (DF).

Assistentes - Leila Naiara Moreira (DF) e Kleber Alves Ribeiro (DF).