Com lei do ex de Alan James, CSE perde para o Sergipe e se complica na Série D: 2 a 1

Alan James marca duas vezes, no começo do jogo, e Tricolorido corre risco de ir para a lanterna do grupo

A vida do CSE vem se tornando mais difícil. Na tarde deste sábado (25), o clube entrou em campo no Estádio Batistão, em Aracaju, para visitar o lanterna Sergipe. Precisando vencer, o time alagoano sofreu uma derrota dura, por 2 a 1, com gols do seu ex-jogador, Alan James. Júnior Timbó fez para o Tricolorido. A derrota fez o Índio Xucuru alcançar quatro embates sem triunfos.

O resultado tornou-se um divisor de águas para os donos da casa. Com a vitória, o Sergipe pula da lanterna para o 6º lugar, vivo na briga por uma vaga. Quem se prejudicou foi o clube palmeirense. Com a derrota, o CSE está em 7º, com 11 pontos e pode cair para a lanterna, caso o Atlético de Alagoinhas vença o Santa Cruz, nesta segunda (27).

Jogando suas últimas fichas para buscar a classificação, o Tricolorido tem um confronto providencial no próximo final de semana. No Juca Sampaio, o CSE recebe o vice-líder Lagarto, no sábado (2), às 19h. No domingo (3), o Gipão encara outro alagoano, novamente dentro de casa. O Alvirrubro receberá o ASA, no Batistão, às 16 horas.

Após início muito ruim, Tricolorido não teve forças para buscar resultado fora de casa - Foto: Ítalo Ramon

1º TEMPO

O confronto começou com requintes de decisão para os dois clubes. Porém, o balde de água fria chegou cedo. Logo com um minuto de jogo, o Gipão teve sua primeira chegada. A defesa Tricolorida parou, Alan James cabeceou e Alex não conseguiu impedir o gol: 1 a 0 para o Sergipe e lei do ex do centroavante.

A pressão sergipana não parou e o CSE parecia completamente resguardado. Com 3min, os donos da casa chegaram novamente. Com uma grande facilidade, Paulinho fez uma bela jogada e finalizou forte no canto. Dessa vez, Alex fez uma bela defesa. O goleiro, aos 11', não pôde fazer nada, quando Lima cometeu pênalti em Gilmar.

Parecia um pesadelo, mas a arbitragem assinalou a penalidade máxima. Novamente Alan James, ex-CSE, foi para a cobrança e ampliou para 2 a 0 com apenas 13 minutos de jogo. Em campo, não se via o clube palmeirense disputando, enquanto os sergipanos encontravam-se super tranquilos. Com 23min, quase o Sergipe chegou novamente, mas para a sorte tricolorida, o lance estava irregular.

O nervosismo era tão claro para os alagoanos, que três amarelos foram distribuídos após o primeiro gol. Poucas vezes o CSE subia para o ataque e, quando subia, mal assustava a defesa alvirrubra. Pouca insistência, porém, foi recompensada por um lance de sorte. Diego Aragão, aos 46 minutos, derrubou Júnior Timbó na área e a arbitragem assinalou pênalti. O próprio Timbó cobrou e diminuiu a vantagem, no fim do primeiro tempo: 2 a 1.

Com gol no final do primeiro tempo, clube palmeirense chegou vivo para o 2º tempo - Foto: Antônio Soares // CSS

2º TEMPO

Os dois técnicos fizeram mudanças no intervalo. Mesmo assim, o Sergipe seguiu tendo as melhores jogadas, mas sem dar trabalho para Alex. O CSE teve outra postura, e chegou perto do gol aos 10 minutos, quando Vargas finalizou direto no travessão do goleiro Dida. O lance assustou os jogadores do Gipão, que tentaram controlar mais a posse de bola.

Aos 16, foi a vez do Sergipe quase ampliar. Janelson acabou tendo um lance curioso com o goleiro Alex e quase marcou contra. No desespero para ao menos buscar um ponto, Betinho acionou Matheus Régis, um dos artilheiros do clube na competição. Mas, o que se viu, foi um susto na defesa. Com 21min, Alan James foi lançado em velocidade. Com fome de hat-trick, o atacante finalizou bem, mas Alex fez uma bela ponte para defender.

Na sequência do lance, com 22, Lazarini apareceu no meio da área para arriscar o cabeceio. A finalização foi boa, porém, a redonda passou tirando tinta da trave. Cada vez mais, as jogadas iam ficando perigosas e as chances sendo criadas. Com 26, Timbó perdeu a chance de empatar. Após cruzamento de Lima, o meia chegou inteiro para finalizar, porém, mandou por cima, numa oportunidade incrível.

Era ataque contra ataque nos minutos finais. Philip finalizou bem aos 32 minutos e novamente Alex interveio com qualidade. O que já parecia um jogo equilibrado, ganhou mais emoção quando Ewerton Ageu foi expulso, aos 33. Foi a chance que o CSE queria, para disparar de vez ao ataque. Matheus Régis criou bem, em lance individual. Finalizou no cantinho, mas Dida defendeu.

No final, parecia que qualquer equipe poderia marcar. Com 41 minutos, Thalles Gaúcho teve uma chance clara, dentro da pequena área, mas não finalizou. A oportunidade mais clara, pintou aos 46 e foi alagoana. Júnior Timbó, em nova chegada, dominou a bola e fez tudo certo, chute forte no gol. Ele só não contava com a defesaça do goleiro Dida, de maneira sensacional. A defesa valeu como um gol e decretou a vitória sergipana, por 2 a 1.

Ficha técnica

Sergipe - Dida; Ewerton Ageu, Alexandre Lazarini, Wendel Lomar e Gilmar; Diego Aragão (Mateus Silva), Hiago, Tales (Alex Murici) e Kaio Wilker (Fabiano); Paulinho (Philip) e Alan James (Thalles Gaúcho). Técnico: Rafael Jaques.

CSE - Alex; Renato, Janelson, Hugo e Izaldo (Ygor); Amaral (Jean Carlos), Luizinho, Vinícius Vargas (Matheus Régis) e Júnior Timbó; Lima (Carlinhos) e Tiago Recife (Madson). Técnico: Betinho

Gols - Alan James (SER - 1'/1T e 13'/1T); Júnior Timbó (CSE - 47'/1T)

Cartões amarelos - Lima (CSE); Tiago Recife (CSE); Amaral (CSE); Alan James (Sergipe); Ewerton Ageu (Sergipe); Júnior Timbó (CSE); Madson (CSE)

Cartões vermelhos - Ewerton Ageu (Sergipe)

Árbitro - Gustavo Ervino Bauermann (CBF/SC)

Assistentes - Renner Lisboa dos Santos (CBF/SE) e Tâmara Nayara Muhlstedt Souza (CBF/SE)

4º árbitro - Eloane Gonçalves Santos (CBF/SE)