Com defesa inconsistente, CRB perde o fôlego jogando fora de seus domínios

Após o empate por 1 a 1 contra o Vitória-BA, em Salvador, Galo completou longo período sem vencer atuando fora de casa, necessitando ainda melhorar defensivamente

O empate com a equipe do Vitória-BA, no Estádio Manoel Barradas (Barradão), pela 5ª rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste, determinou ao CRB uma marca negativa. O Galo completou quase três meses sem vencer, atuando dentro de campo durante 90 minutos, fora de casa.

A última vitória do regatas, longe de seus domínios, aconteceu no dia 29 de dezembro de 2020, quando a equipe alagoana foi até a cidade de Florianópolis e superou o Avaí, no Estádio Doutor Aderbal Ramos da Silva (Ressacada), por 1 a 0, já sob o comando do treinador Roberto Fernandes.

De lá para cá, em confrontos como visitante, foram seis jogos, com três derrotas (Operário, Ponte Preta e Fortaleza) e dois empates (CSA e Vitória-BA). Vale ressaltar que, contra o Coruripe, o resultado final da partida foi determinado por W.O., em razão de o Hulk Praiano não ter jogadores suficientes para a realização de um embate naquele momento.

Na partida dessa quarta-feira (24), contra o Vitória, valendo pela 5ª rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste, o CRB caminhava para finalmente obter êxito atuando fora de casa e, de quebra, por um fim na escrita de não vencer o time baiano há dez anos. Mas não conseguiu. Depois de uma nova bobeira defensiva, o resultado final acabou com o que daria a equipe a certeza que concluirão a 5ª rodada do Nordestão na liderança do grupo A, sem depender de demais resultados.

Defesa vulnerável

Um dos motivos que torna o setor da retaguarda do Galo vulnerável em alguns momentos é a irregularidade, pois, a equipe ainda comete alguns erros grotescos defensivamente e isso precisa ser orientado por Roberto Fernandes. Ewerton Páscoa, por exemplo, tem falhado com certa frequência e passou a ser cobrado por boa parte da torcida nas redes sociais. E não é de hoje. Em sua trajetória com a camisa do Galo, o jogador tem prejudicado a equipe das mais variadas maneiras: botes errados, falhas na saída de bola, rebatidas equivocadas, além de pênaltis desnecessários. E o pior disso é que os adversários têm aproveitado. Na partida da última quarta-feira (24), contra o Vitória, o jogador originou a penalidade que resultou no gol de empate do time Rubro-Negro.

Jogador tem sido alvo de críticas por boa parte da torcida regatiana - Foto: Uendel Galter/ Ag. A Tarde

Ou seja, Fernandes sabe que precisa orientar, com mais rigidez, a equipe regatiana, em especial, a defesa. Para que dessa maneira, os zagueiros não deixem tantos espaços possibilitando que o adversário tenha liberdade e consiga concluir as jogadas, além, claro, de reforçar verbalmente o time a jogar sem afobação.

Para que essa situação fora de seus domínios mude, o CRB ainda deve buscar um equilíbrio entre defesa e ataque, jogando da mesma maneira ofensiva de como quando atua dentro de casa. Visto que, a última vez que o clube obteve um mal resultado como mandante foi contra o Paraná, por 2 a 0, no dia 17 de dezembro de 2020, pela 29ª rodada da Série B, em partida que marcou a saída do técnico Ramon Menezes do comando do Galo.

O próximo jogo do CRB, que será válido pela Copa do Brasil, pode colocar enfim um ponto final nesse cenário. Visto que, a partida que está marcada para este sábado (17), acontecerá às 15h30, no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, Rio de Janeiro.

Detalhe

Por ser visitante, o Galo joga pelo empate para garantir vaga na segunda fase da competição nacional e assegurar uma cota de R$ 675 mil.