Com atuação de gala, CSA vence o Vasco por 2 a 0 e dorme fora da zona do rebaixamento

Com gols de Lucão e Lucas Barcelos, Azulão não dá chances para cariocas e seca Guarani para ficar fora do Z4

Na noite dos Lucas, o CSA voltou a vencer na Série B do Brasileiro. Nesta quinta-feira (18), no Rei Pelé, o Azulão recebeu o Vasco pela 25ª rodada da competição e conseguiu a vitória por 2 a 0, com uma atuação avassaladora. O triunfo foi construído com gols de Lucão e Lucas Barcelos, ainda no primeiro tempo. De quebra, o time marujo ganhou um respiro na briga contra o rebaixamento para a Série C.

O placar tirou, momentaneamente, o clube azulino da zona do rebaixamento. O CSA saltou do 18º para o 16º lugar, agora com 26 pontos. Porém, para terminar a rodada fora da degola, é preciso que o Guarani tropece contra a Ponte Preta, neste sábado (20). Já o Almirante segue na mesma posição. Ainda no 4º lugar, com 42 pontos, a equipe carioca pode ver os adversários diretos se distanciarem.

Confira como foi a grande vitória do CSA sobre o Vasco através do Tempo Real da gazetaweb.com! Clique aqui!

Após toda a intensidade física desse confronto, os dois clubes terão um tempo confortável de descanso. Ambos terão mais de uma semana de preparação para a rodada 26. No sábado, dia 27, o CSA entra em campo no Estádio Germano Krüger, no Paraná, para enfrentar o Operário, em embate direto contra o Z4, às 19h. No dia seguinte, domingo, 28, o Vasco duela com o Bahia, na Fonte Nova, às 16h, numa briga direta pelo G4 da Segundona.

Com linda festa da torcida, Azulão superou adversidades para garantir vitória sobre o Vasco - Foto: Ailton Cruz

1º TEMPO

Em meio a diversas discussões nos bastidores, CSA e Vasco entraram em campo diante de uma bela festa das duas torcidas. Contudo, a festa da torcida do Azulão prevaleceu. Logo no primeiro minuto, a equipe de Roberto Fernandes teve escanteio pela direita. Igor cobrou com muita qualidade e o zagueiro Lucão apareceu com um belíssimo cabeceio, tirando todas as chances de Thiago Rodrigues: 1 a 0 para o time marujo.

A abertura do placar incendiou a massa azulina e deu confiança aos jogadores dentro de campo. O Vasco, por outro lado, tinha pouca posse de bola e muita dificuldade para sair jogando. A primeira chance vascaína foi aos 12 minutos. Em cobrança de falta, de muito longe, Figueiredo arriscou, mas Carné não teve trabalho algum para encaixar. O time carioca seguiu pressionando, mas a defesa do CSA manteve a consistência.

Aos poucos, o confronto foi ficando muito físico, com disputas mais fortes. No maior estilo Roberto Fernandes, o Azulão passou a se defender. Coisa que o Vasco não fez bem. Com 25 minutos, Yann Rolim lançou do campo de defesa e o zagueiro Danilo Boza furou feio. A bola ficou limpa para Lucas Barcelos que dominou e só fez correr até a grande área. Cara a cara com Thiago, o atacante finalizou com estilo e aumentou a bela vantagem azulina: 2 a 0.

Danilo Boza dormiu no ponto e deixou Lucas Barcelos na boa para marcar o segundo do Azulão - Foto: Ailton Cruz

A primeira metade do jogo foi de uma atuação de alto nível do CSA. O que não se via há um bom tempo. Enquanto isso, o Gigante da Colina se atirava de qualquer maneira, sem qualidade. As melhores chegadas eram alagoanas. Com 32, Gabriel recebeu um bom passe dentro da área. O meia girou finalizando, mas Thiago Rodrigues segurou firme para evitar o terceiro gol.

Os minutos finais da primeira etapa foram de extremo controle do Azulão. Tanto, que o terceiro gol já parecia maduro. Com 41 minutos, Igor foi lançado livre pela direita e cruzou para Yann Rollim, que chegou finalizando. Grande destaque do Vasco no 1º tempo, Thiago Rodrigues teve reflexo e conseguiu uma bela defesa.

O primeiro tempo acabou aos 48 minutos, com a vitória parcial azulina, justificando um CSA imponente e um Vasco completamente desequilibrado.

Primeiro tempo chegou ao fim com uma desastrosa atuação vascaína - Foto: Ailton Cruz

2º TEMPO

Para a surpresa de muitos, o Vasco não mudou na volta do intervalo. O CSA, por outro lado, seguiu com a postura defensiva. E deu certo. Novamente no primeiro minuto, o time vascaíno errou na saída e deixou o contra-ataque para o Azulão. Rickson roubou a bola e lançou Lucas Barcelos que finalizou no cantinho e a bola raspou na trave. Com 6, mais uma chance. Diego Renan cruzou para Yann, sem marcação, que finalizou para fora.

O Vasco começou a fazer suas jogadas pelo lado direito e aos poucos os espaços apareceram. Aos 15, Nenê colocou a bola na área. Anderson Conceição ficou na sobra, mas furou muito feio. As maiores tentativas vascaínas eram pelo alto, principalmente em cruzamentos de Nenê. Contudo, não dava certo.

Já pelo lado do Azulão, as jogadas fluíam com uma facilidade imensa. Com 28 minutos, novamente a equipe azulina pisou na área. Lucas Barcelos, chegou até a linha de fundo e cruzou rasteiro. Werley foi quem finalizou. Porém, o chute fraquinho facilitou a vida do goleiro Thiago Rodrigues. Os minutos iam se passando a vitória azulina parecia ainda mais certa, já que não sofria pressão do adversário.

No segundo tempo, Azulão controlou a partida e não passou sufoco - Foto: Ailton Cruz

Nas últimas cartadas, Emílio Faro colocou o time cruzmaltino para frente, com alterações ofensivas. Entretanto, quem chegou foi o Azulão. Com 39, Rodrigo Rodrigues foi lançado na boca do gol. Porém, o arqueiro Thiago Rodrigues foi mais rápido e impediu a finalização.

Nos últimos minutos, o Vasco ainda conseguiu assustar. Aos 43 minutos, em duas bolas cruzadas, a defesa do CSA bateu cabeça e quase deixou para Fábio Gomes marcar. Contudo, Werley conseguiu salvar o segundo lance. Paulo César Zanovelli aumentou apenas quatro minutos ao tempo regulamentar. Eguinaldo finalizou de fora aos 46 minutos e Marcelo Carné encaixou em cima da linha.

Apesar disso, o script já estava escrito e não deu tempo para mais nada. Aos 49, o confronto chegou ao fim, dando a Roberto Fernandes uma estreia em grande nível.

Roberto Fernandes estreou muito bem no comando azulino - Foto: Ailton Cruz

Ficha técnica

CSA - Marcelo Carné; Igor, Werley, Lucão e Diego Renan; Geovane (Ferreira), Yann Rolim (Rogério), Giva Santos e Gabriel (Rickson); Lucas Barcelos (Osvaldo) e Élton (Rodrigo Rodrigues). Técnico: Roberto Fernandes.

Vasco - Thiago Rodrigues; Matheus Ribeiro, Danilo Boza, Anderson Conceição e Edimar (Paulo Victor); Yuri Lara, Andrey Santos e Nenê (Palacios); Alex Teixeira (Fábio Gomes), Figueiredo (Bruno Tubarão) e Raniel (Eguinaldo). Técnico: Emílio Faro.

Gols - Lucas (CSA - 1'/1T); Lucas Barcelos (CSA - 25'/1T)

Cartões amarelos - Geovane (CSA); Rickson (CSA)

Árbitro - Paulo César Zanovelli da Silva (CBF/MG)

Assistentes - Felipe Alan Costa de Oliveira (CBF/MG) e Ricardo Junio de Souza (CBF/MG)

Quarto árbitro - Helder Brasileiro de Aquino (CBF/AL)

VAR - Igor Junio Benevenuto de Oliveira (VAR-FIFA)

Assistente do VAR - Frederico Soares Vilarinho (CBF/MG)