Cautela é essencial: CSA é a terceira equipe na Série B com mais cartões amarelos

Azulão entrou com sete atletas pendurados no clássico e não conta com Gabriel, contra o Brusque, no fim de semana

De acordo com o site FootStats, o CSA é, ao lado do Brasil de Pelotas, a terceira equipe com mais cartões amarelos na Série B do Brasileiro em 2021. Já se passaram 28 partidas e o Azulão soma 78 punições ao todo, além de dois vermelhos. Com 85, o Londrina lidera o ranking nada positivo. Qual a relevância de falar sobre isso, torcedor?

Sem dúvida, é possível conhecer mais do comportamento de uma equipe no futebol a partir do número de advertências e punições que seus jogadores, e até treinadores, receberam ao longo de uma temporada.

No Clássico das Multidões, contra o CRB, por exemplo, o Azulão entrou em campo com Thiago Rodrigues, Lucão, Fabrício, Matheus Felipe, Giva Santos, Yuri e Gabriel, todos pendurados, isto é, que receberam dois cartões amarelos nas partidas anteriores.

No duelo, aliás, o meia-ofensivo Gabriel, um dos destaques na temporada, foi punido novamente e cumpre suspensão. Assim, não vai enfrentar o Brusque pela 29ª rodada, neste sábado (9), no Rei Pelé, às 21h. Mozart Santos deve escalar Renato Cajá ou até mesmo Didira no setor.

Este é um exemplo prático da importância de tomar cuidado com o excesso de penalidades, pois a falta de um atleta qualificado - como Gabriel - pode interferir no desempenho do time no jogo e complicar a vida da equipe nesta reta final da Segundona - restam dez jogos para o fim da competição.

Assim, é crucial o Gigante do Mutange ligar o alerta e Mozart pedir cautela aos jogadores. Claro que essa não deve ser a maior preocupação do comandante. Eventualmente, dependendo da circunstância da partida, é válido matar o ataque do adversário em um lance puramente estratégico.

Só para ter uma ideia, nas últimas cinco partidas, o time marujo recebeu dez sanções. Contra o Londrina, Lucão foi punido. Diante do Botafogo, foi a vez do lateral esquerdo Ernandes.

Contra o Cruzeiro, Cristovam recebeu o vermelho e Thiago o amarelo por cera. Diante da Macaca, o número foi mais elevado: novamente Lucão e Gabriel, além de Dellatorre e Reinaldo, foram "premiados". Por fim, no clássico, além do camisa 27, Iury Castilho viu o árbitro levantar o símbolo amarelo.