Campeonato Alagoano é o único do Nordeste com diminuição de clubes em relação ao ano anterior

Estadual de 2022 terá oito clubes, diferentemente da edição de 2021, onde nove participaram

Os preparativos para o Alagoano de 2022 seguem nos bastidores. Na próxima edição, oito clubes estarão disputando o título, além das vagas na Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série D. Além disso, um clube acabará rebaixado para a Segundona do Estadual.

Uma curiosidade que remete ao futebol nordestino é que Alagoas será o único estado que passará por uma redução de clubes em seu campeonato local. Isso se deu por conta de 2020, que não teve rebaixamento, justamente pela pandemia de Covid-19. Para deixar a competição em um número par, em 2021, dois clubes foram rebaixados (Coruripe e CEO) e apenas um subiu (Cruzeiro), voltando a ter oito equipes.

O problema é que isso não acontece ou não aconteceu nos outros estados do Nordeste. No caso da Paraíba, por exemplo, justamente o contrário aconteceu, já que o Paraibano 2022 passará de oito, para 10 clubes. Apesar da queda do Perilima, Sport Lagoa Seca, Auto Esporte e CSP conseguiram o acesso.

Nos outros sete estados da região, o número de clubes será mantido para a próxima temporada, em relação a 2021. Bahia, Ceará, Pernambuco e Sergipe são as federações com mais representantes na elite local, com 10 cada. Já Maranhão, Piauí e Rio Grande do Norte seguem com oito clubes, o mesmo número de Alagoas.

A última vez que a Terra dos Marechais teve 10 clubes na elite foi em 2017. Inclusive, dez equipes participantes era a média dos Alagoanos de 2006 até 2014. No Arbitral do Alagoano 2022, o presidente do Dínamo, Jorginho Siri, chegou a indagar para que a Série B do Estadual tivesse mais acessos, entretanto, a ideia não foi aprovada.