Brasiliense confirma saída e Didira deve ser anunciado pelo CSA

Meia de 33 anos é ídolo da torcida azulina e deve chegar nesta terça-feira à tarde

Tem novo reforço pintando no clube do Mutange. O CSA tem acerto verbal com o meia Didira, ídolo do clube azulino e revelado pelo ASA. A informação foi confirmada na tarde desta segunda-feira (13), tanto pelo Azulão, quanto pelo Brasiliense, que é o ex-clube do jogador. Didira deve chegar em Maceió na tarde desta terça (14), para fazer exames e assinar o contrato e, então, haver o anúncio oficial.

Em contato com a Gazetaweb, a assessoria do clube do Distrito Federal confirmou que Didira ainda tem contrato com o Jacaré, entretanto, que o jogador aceitou a proposta e viajou nesta segunda (13) para Maceió. O setor de futebol azulino também informou que "está aguardando a confirmação do voo dele de Brasília para Maceió".

Didira, em sua primeira passagem, chegou após ter anos de destaques com a camisa do ASA. Pelo clube maceioense, o atleta jogou entre 2016 e 2019, somando 146 partidas, além de ter balançado as redes em 25 oportunidades. Esteve presente em toda reconstrução do CSA, no acesso da Série D até a Série A do Brasileirão.

O jogador, após sua saída em 2019, pouco rodou e atuou em apenas dois clubes diferentes: Santa Cruz e Brasiliense, este último o qual tinha contrato até está segunda (13). Na temporada 2021, com a camisa do Jacaré, atuou em 26 jogos, marcou três gols e ajudou na campanha de classificação do Brasiliense na fase de grupos da Série D.

No último domingo (12), inclusive, esteve em campo pela última vez com a camisa da equipe candanga, no empate de 0 a 0 contra a Ferroviária de Araraquara. O atleta está com 33 anos de idade e foi campeão da Série C com o próprio time azulino, em 2017.

Didira é mais uma contratação da era Ítalo Rodrigues no Azulão. Nos últimos jogos, o CSA tem tido dificuldades no meio-campo, principalmente após perder Renato Cajá por uma lesão. O novo reforço deve ter concorrências na briga por uma vaga no time titular. Além do próprio Cajá, Yann Rolim e Gabriel, que pode fazer uma função mais centralizada no meio. Lembrando, que o jogador é conhecido por uma polivalência para jogar, seja como volante ou meia centralizado.