ASA volta a ser derrotado pelo Pouso Alegre e dá adeus à Série D sem o acesso: 1 a 0

Assim como em Arapiraca, Fantasma é derrotado pelo clube mineiro e vai disputar a Série D novamente em 2023

O sonho acabou. Na tarde deste sábado (27), o ASA visitou o Pouso Alegre pelo jogo da volta das quartas de final da Série D. Apostando suas últimas fichas no acesso, o Alvinegro foi novamente derrotado pelo clube mineiro. Dessa vez, o placar foi de 1 a 0, com gol de Neto Paraíba, definindo o acesso do Pousão e a melancólica eliminação arapiraquense, no Estádio Manduzão, em Minas Gerais.

Agora, a equipe mineira irá disputar a fase semifinal. Já garantido na Série C da próxima temporada, o Dragão tentará o inédito título da Série D. O adversário na próxima fase será Amazonas ou Portuguesa-RJ, que se enfrentam amanhã. Já o ASA, ainda deve entrar em campo nesta temporada, por volta de outubro. Isso porque o clube arapiraquense está na fase preliminar da Copa do Nordeste. Porém, adversários e a tabela só devem ser divulgados nas próximas semanas.

Apesar da eliminação no Campeonato Brasileiro, o Alvinegro tem vaga garantida na disputa da Série D de 2023, representando Alagoas, ao lado do Cruzeiro.

Sob o olhar de mais de 14 mil torcedores, Pousão conquistou inédito acesso - Foto: Chiarini Jr / Roma Comunicação e Marketing

1º TEMPO

Precisando do resultado, de qualquer maneira, o ASA teve que partir para o ataque. Logo com 50 segundos, teve a sua primeira oportunidade. Após cruzamento na área, Thallyson finalizou com perigo, mas para fora. O Alvinegro começou ofensivo, com boas chegadas, tentando abrir o placar urgentemente. Com 13 minutos, o Gigante deu outra chegada e novamente Thallyson tentou, mas mandando para longe do gol.

O Pousão só acordou depois do segundo susto, quando finalmente tentou atacar. Em um primeiro momento, a equipe tentou chegar via cruzamentos, que não funcionaram. Contudo, a prioridade do clube mineiro era se defender, e estava conseguindo fazer isso com muita qualidade. Com 25, Neto Paraíba achou um bom espaço e arriscou de longe. Por sorte, a bola foi pela linha de fundo.

ASA começou melhor no primeiro tempo, mas não balançou as redes - Foto: Chiarini Jr / Roma Comunicação e Marketing

Na resposta, Didira finalmente apareceu. Com 27 minutos, o meia chutou de longe e a curva quase complicou Edson Mardden, que fez uma bela defesa. Na sequência, após escanteio, Cris Lucca ficou com a sobra e mandou a bola raspando na trave, quase marcando o primeiro.

Apesar de toda pressão alvinegra, o Pouso encontrava-se tranquilo em campo, só esperando um espaço. Aos 34 minutos, a zaga falhou e o espaço apareceu. Ingro conseguiu roubar a bola com qualidade e avançou para o ataque. O atacante venceu a marcação e cruzou para Neto Paraíba empurrar para o gol: 1 a 0 para o Dragão.

Se a situação estava ruim para o ASA, o gol só fez piorar. Precisando de, no mínimo, três gols, o psicológico do Fantasma foi para o espaço. A equipe só veio criar uma boa chance de novo com 40 minutos, após Feijão arriscar de longe e a bola passar perto. Aos 44, Didira também tentou e Edson Mardden encaixou sem problemas, sendo essa a chance final do primeiro tempo.

Dragão desceu para os vestiários com a mão na classificação - Foto: Chiarini Jr / Roma Comunicação e Marketing

2º TEMPO

Buscando, no mínimo, três gols, Jota voltou do intervalo com Roger Gaúcho e Xande para o ataque. Com mais jogadores na parte alta do campo, o ASA conseguiu chegar com mais facilidade. Com dois minutos, Anderson Feijão arriscou bem e Mardden fez mais uma boa defesa.

A apreensão era muito clara no time alvinegro. Com oito minutos, a própria defesa do ASA se atrapalhou. Thallyson tentou devolver para Renan Rinaldi de cabeça, mas eles se atrapalharam e o goleiro tirou a bola em cima da linha. O Pouso estava trabalhando com calma, só aguardando as chances de partir para o contra-ataque.

Com o tempo passando, a reação do Fantasma parecia cada vez mais improvável. Por outro lado, o Dragão amadurecia um segundo gol. Aos 18, Anderson Feijão novamente tentou na bola parada, porém, sem conseguir acertar a direção do gol.

Desesperado, Alvinegro tentou buscar a virada no segundo tempo - Foto: Chiarini Jr / Roma Comunicação e Marketing

Só esperando o apito final para comemorar o acesso, o técnico Paulo Roberto Santos fez mudanças básicas, apenas para dar rodagem ao elenco. Durante algum tempo, a segunda etapa ficou sem chances criadas. Aos 29, Gledson cobrou uma falta de muito longe, mas isolou. Quem cobrou bem foi Brumati, aos 31. Em falta, o meia colocou no ângulo, mas a bola subiu um pouco e tirou tinta da trave.

Contudo, parecia que o destino não queria o gol alvinegro. Com 33, Brumati teve um nova oportunidade. Após cruzamento na área, o zagueiro desviou e a bola foi direto no travessão. O ASA tentava de todas as maneiras, enquanto os mineiros só aguardavam o encerramento para comemorar o acesso. Já nos minutos finais, quem só chegava no ataque era o Gigante.

A arbitragem indicou apenas quatro minutos de acréscimos. Com isso, o Alvinegro se colocou inteiro no campo de ataque, mas não teve jeito. Aos 49, o apito final foi soado, decretando o histórico acesso do Pousão para a Série C de 2023.

Ficha técnica

Pouso Alegre - Edson Mardden; Nando, Victor, Thuram e Foguinho; Gledson (Igor), Matheus Roldan (Serginho) e Neto Paraíba (Michel Paulista); Iago Dias, Marcos Nunes e Ingro (Jhonatan). Técnico: Paulo Roberto Santos.

ASA - Renan Rinaldi; Brumati, Alysson Dutra (Xande) e Cris Lucca; Michel Tiago, Thallyson; Jorginho (Roger Gaúcho) e Colina (Diego Roda); Didira (Damasceno), Anderson Feijão e Ermínio. Técnico: Jota.

Gols - Neto Paraíba (PSA - 34'/1T)

Cartões amarelos - Alysson Dutra (ASA); Colina (ASA)

Árbitro - Diego Pombo Lopez (CBF/BA)

Assistentes - José Carlos Oliveira dos Santos (CBF/BA) e Daniella Coutinho Pinto (CBF/BA)

Quarto árbitro - Ricarle Gustavo Gonçalves Batista (CBF/BA)

Quinto árbitro - Magno Arantes Lira (CBF/MG)

VAR - Rodolpho Toski Marques (FIFA/PR)

Assistente do VAR - Lilian da Silva Fernandes Bruno (CBF/RJ).