ASA marca no início, vence clássico com CSE e retoma liderança do grupo na Série D: 1 a 0

Fantasma faz com Diego Rosa em Palmeira dos Índios, se aproxima da vaga no mata-mata e prejudica o rival na briga

O tabu foi quebrado! Após derrotas nos três primeiros clássicos da temporada, o ASA conseguiu vencer o CSE na tarde deste domingo (19), no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios. O confronto, válido pela 10ª rodada do Grupo 4 da Série D, foi o quarto clássico da temporada, que terminou com o triunfo arapiraquense por 1 a 0, com gol de Diego Rosa.

A vitória do Lagarto sobre o Sergipe nesse sábado (18), havia tirado a liderança do Gigante, mas o resultado de hoje (19), devolveu a ponta. O Alvinegro agora tem 18 pontos, com uma vantagem boa, que o deixa próximo da classificação para o mata-mata. O Tricolorido, por outro lado, está em uma situação delicada. A derrota faz o clube permanecer em sexto, mas com apenas 11 pontos, dois abaixo do G4.

Partida foi equilibrada, mas Tricolorido não conseguiu balançar as redes - Foto: Ailton Cruz

Calendário

Na próxima rodada, quem entra em campo primeiro será o CSE. A equipe palmeirense joga no próximo sábado (25), às 16h, visitando o lanterna Sergipe no Estádio Batistão, em Aracaju. Já o ASA fará seu confronto apenas no domingo (26). O duelo será contra o Lagarto, às 16h, no Fumeirão e será decisivo, pois os sergipanos estão em 2º lugar no grupo.

1º TEMPO

O Clássico do Agreste começou com clima de decisão e com uma linda festa no Estádio Juca Sampaio. A primeira chegada foi dos mandantes, com 2min. Luizinho tentou finalizar da entrada da área, contudo, mandou longe do gol alvinegro. Nos primeiros minutos, o ASA foi mais cauteloso, com a defesa bem postada. Assim, quem mais chegou na frente foi o CSE, mas sem conseguir furar a zaga adversária.

O Fantasma criou uma jogada com 10 minutos, após toque rápido, Roger Gaúcho tentou a finalização, mas para fora. O lance parece que deu combustível necessário e no minuto seguinte, aos 11min, o ataque foi fatal. Pelo lado esquerdo, Júnior Viçosa fez o pivô perfeito, tocou para Diego Rosa, que entrou na área e chutou por baixo do goleiro Alex: 1 a 0 para o Gigante.

Diego Rosa vibra ao lado de Júnior Viçosa após marcar gol da vitória - Foto: Ailton Cruz

O CSE ficou desconsertado com o gol sofrido e foi atrás do prejuízo logo na sequência. Aos 17 minutos, Izaldo pingou uma bola na grande área, mas Timbó cabeceou para fora. Na resposta do Fantasma, quase saiu o segundo gol. O contra-ataque foi perfeito e Júnior Viçosa tentou de voleio, mas a bola explodiu na trave. No rebote, Diego Rosa acertou o poste novamente. Roger Gaúcho ainda teve a chance em um segundo rebote seguido, mas finalizou para fora. Um susto grande para a torcida tricolorida.

A trave virou inimiga do ASA, que novamente a acertou com 26 minutos. Na tentativa de cruzamento de Alysson Dutra, a redonda desviou e tocou no travessão, com muito perigo. A vantagem era pequena, mas suficiente para os visitantes focarem na defesa. Com 32min, Luizinho teve que tentar de fora, mas Renan Rinaldi segurou sem sustos.

ASA fez um primeiro tempo melhor, dificultando jogo do Tricolorido - Foto: Ailton Cruz

A ideia de chutar de longe se manteve, já que a muralha preta e branca seguia. Matheus Régis também tentou, porém, seu chute passou pela esquerda do gol, sem perigo, aos 35. Sem conseguir acertar dessa forma, o Tricolorido tentou pelo alto. Aos 38 minutos, Janelson apareceu de cabeça, mas tirou demais e desperdiçou a oportunidade. O CSE encerrou o primeiro tempo melhor. Sua última chance foi aos 46, quando Thiago Recife finalizou cruzado, dentro da área, mas Renan agarrou. Assim, a primeira etapa acabou com a vantagem arapiraquense.

2º TEMPO

Sem mudanças, as equipes voltaram do intervalo empolgadas. Mesmo com a vantagem, o ASA não foi tímido. Logo com 2 minutos, Roger Gaúcho fez uma jogada individual e finalizou para fora. O meia estava empolgado, tentando o seu gol. Aos 13 minutos, invadiu a área pelo lado direito e por mais que Feijão estivesse livre, Roger preferiu finalizar no canto. Contudo, a bola saiu.

O jogo foi ficando difícil, com o Tricolorido se atirando para o ataque e o Alvinegro se segurando. Fora de campo, o clima foi ficando quente, entre a torcida do CSE e os jogadores do ASA, que estavam no banco. Aos 22 minutos, o time palmeirense chegou perto do empate. Lima cobrou escanteio com muito veneno, a defesa tirou mas e Vargas finalizou de dentro da área. Para a sorte do Fantasma, Renan fez uma defesa sensacional.

Jogadores e comissão do ASA bateu boca com torcedores do CSE - Foto: Ailton Cruz

Preocupado e querendo o resultado, Jota decidiu acionar peças defensivas, para reforçar a marcação. A resposta de Betinho foi direta e reta, subindo suas linhas e enchendo a equipe de atacantes. Aos 32 minutos, o CSE já tinha quatro atacantes em campo.

O bombardeio palmeirense foi claro, especialmente após o time de Jota recuar totalmente as suas linhas. Após escanteio pelo lado direito, aos 39, Matheus Régis finalizou forte, mas a bola estourou na defesa alvinegra. No contra-ataque, Xande teve a oportunidade, porém também desperdiçou.

A equipe de Betinho tentou de todas as formas. Marcos Antônio foi o que mais arriscou, com chutes de longe. Aos 43 minutos, o CSE teve a melhor chance do empate. A marcação do Fantasma falhou, Grafite, completamente livre, tocou para Matheus Régis só empurrar para o gol. Afobado, o atacante não alcançou a bola. O nervosismo era gigante, para os dois lados e o ASA só se segurava.

A arbitragem potiguar indiciou seis minutos de acréscimos, o único tempo restante para os mandantes buscarem o resultado. O Tricolorido abusou de cruzamentos na área, enquanto a defesa arapiraquense foi soberana. No final, não deu para os donos da casa: CSE 0x1 ASA.

Goleiro Renan Rinaldi deve ser titular no clássico - Foto: Ailton Cruz

Ficha técnica

CSE - Alex; Renato (Lima), Janelson, Hugo e Izaldo (Marcos Antônio); Amaral (Juliano), Luizinho (Grafite), Vargas e Júnior Timbó (Carlinhos); Matheus Régis e Thiago Recife. Técnico: Betinho

ASA - Renan Rinaldi; Michel Tiago, Cris Lucca, Brumati (Marcão) e Alysson Dutra; Jorginho, Zé Wilson (Magal) e Roger Gaúcho (Marcinho); Anderson Feijão (Magdiel), Diego Rosa (Xande) e Júnior Viçosa. Técnico: Jota

Gols - Diego Rosa (ASA - 11'/1T)

Cartões amarelos - Roger Gaúcho (ASA - suspenso); Marcão (ASA - suspenso)

Árbitro - Leonilson Fernandes Trigueiro Filho (CBF/RN)

Assistentes - Maxwell Rocha Silva (CBF/AL) e Lennon Mccartney Farias Paes (CBF/AL)

4º árbitro - José Jaini Oliveira Bispo (CBF/AL)