Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > esportes > ALAGOANO

Após empate no clássico, Marcelo Cabo diz que se sente preocupado com o rendimento físico do CRB

Técnico concedeu uma entrevista coletiva após a partida e pontuou o que já melhorou em campo e o que ainda precisa ser reforçado

Marcelo Cabo retornou para o futebol alagoano e fez sua estreia justamente no segundo clássico do ano, neste domingo (13). Após a partida contra o CSA, Cabo concedeu uma coletiva de imprensa e apontou o que o CRB precisa melhorar e o que já reforçou com o elenco para a partida. O jogo foi válido pela quarta rodada da Copa do Nordeste e foi encerrado em empate por 1x1.

Ao ser perguntado sobre a produção do Regatas durante a partida, o líder regatiano respondeu:

Leia também

"Me preocupou muito a queda de rendimento físico da equipe, eu acho que a gente não conseguiu manter a intensidade no segundo tempo que a gente teve até os 40/35 do primeiro tempo. Quem me conhece sabe que a minha equipe é uma equipe que vai jogar assim, sempre jogou assim, marcando alto e pressionando o adversário". E completou dizendo: "Eu acho que o empate foi justo, pelo que o jogo apresentou, eu só fico triste por não sair com a vitória, primeiro para presentear o nosso torcedor e segundo pela entrega desses jogadores, eu tenho certeza que o nosso torcedor saiu muito satisfeito".

Sobre a mudança de paradigmas na equipe do Galo da Praia, que no primeiro clássico se apresentou muito neutro e criando poucas possibilidades de gols, Cabo se mostrou confiante e disse o que mudou no raciocínio da equipe para a partida deste domingo:

"Mudamos principalmente a atitude, é o que falei pra eles, eles não esqueceram de jogar futebol, a gente criou uma plataforma de jogo para esse jogo e o que eu cobrei pra eles é que quando se joga um clássico, que mexe com o estado, que mexe com a multidão, a gente tem que ter um algo a mais. É aquilo que eu falei na minha coletiva de apresentação, que eles iam colocar o calção no chão, que eles iam ralar o calção no chão e tenho certeza que a nossa torcida viu isso, brilho, entrega, disposição. E esse vai ser o DNA do Marcelo Cabo em toda a temporada, em alguns momentos vai dar certo, em outros não, mas a gente vai trabalhar em cima desse perfil que o nosso torcedor viu hoje".

Detalhe importante da partida foi a entrada de Rafael Longuine e Diego Torres, pela primeira vez atuando como titulares juntos, o que rendeu bons lances e, inclusive, boas oportunidades de bola parada, onde os dois jogadores iam preparar a cobrança lado a lado. Sobre a manutenção deste esquema ofensivo do Regatas, Cabo comentou:

"É uma alternativa, eu não vou me engessar só em um esquema, eu uso três, quatro esquemas diferentes, hoje nós jogamos no 4-4-2, eu gosto de usar o 4-2-3-1, variando com o 4-4-1, então, pela análise, pelo estudo que fiz da equipe do CSA, eu e meus companheiros entendemos que jogando no 4-4-2 a equipe ia se portar melhor e foi muito bem, no primeiro tempo, até onde a gente tava com o tanque cheio e a gasolina aditivada, depois abaixou um pouquinho, a gente sofreu um pouquinho. O CSA fisicamente foi melhor no segundo tempo", finalizou.

O técnico chegou ao Ninho do Galo na tarde da última sexta-feira (11) e conversou com o elenco para definir os próximos objetivos do clube dentro de campo. A próxima partida do CRB será contra o Globo, na quinta-feira (17), às 19h30, também pela Copa do Nordeste.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas