Abatido com nova derrota, Chamusca tenta explicar apagão do CRB

Equipe regatiana foi surpreendida pelo Paraná com dois gols relâmpagos no segundo tempo; Galo entra em campo na próxima terça, também no Rei Pelé

Mais uma queda dentro do Estádio Rei Pelé, desta vez para o Paraná, por 2x1, fez o técnico Marcelo Chamusca procurar as palavras durante a entrevista coletiva na noite desta quinta-feira (5). Na oportunidade, o comandante tentou explicar o apagão dizendo, inclusive, que este revés foi pior que a goleada por 3x0 para o Bragantino.
"Foi uma derrota muito triste para todos nós do CRB. Principalmente pela forma como ela foi construída [de virada]. Não foi uma derrota, como tivemos, por exemplo, no jogo do Bragantino. Naquele jogo eles foram superiores e construíram muito por conta da competência", explanou o treinador baiano.

CRB abriu o marcador no primeiro tempo, perdeu chances de matar o jogo e levou a virada - Foto: FOTO: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

A virada do Tricolor sobre o Galo aconteceu entre os minutos 29 e 31 do segundo tempo isso pouco tempo depois da substituição forçada do volante Claudinei - com um corte na cabeça. Na explicação do apagão, o comandante preferiu se ater a desenvoltura do time adversário, que, para ele, não mostrou qualidade, mas, sim, eficiência nas oportunidades.
"O Paraná não mostrou nenhuma capacidade [ técnica] e nem competência, mas foi eficiente. Eles conseguiram aproveitar o momento emocional [saída do Claudinei] que nos fez desequilibrar um pouco.  Está todo mundo triste e chateado. A mobilização para a partida foi grande, fizemos todo trabalho que poderíamos e taticamente a equipe respondeu. Mas em cinco minutos de desestabilização acabamos perdendo. Mais um resultado negativo dentro de casa que nos deixa muito tristes", lamentou Chamusca.

Técnico Marcelo Chamusca deixou o campo de jogo campo bastante abatido - Foto: FOTO: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Apesar de nitidamente abatido, Marcelo Chamusca já fez projeção para o próximo confronto, também no Trapichão, desta vez contra o Brasil de Pelotas, às 18h45 da terça-feira (10).  Segundo ele, é a hora de reagir jogando dentro de casa.
"Temos que reagir porque terça tem outro jogo, e a competição é assim. É voltar a ganhar porque só dessa forma a gente vai conseguir continuar subir na tabela de classificação", falou o comandante. O revés de hoje marcou a quinto jogo consecutivo sem conseguir vencer frente ao seu torcedor. De quebra, perdeu a oitava chance de entrar no G4 da Segundona.