Sob vaia da torcida, CSA empata com Aparecidense: 'Time sem-vergonha!'

Tomas Bastos fez o gol de empate do Azulão, na etapa inicial; time azulino é o 10º colocado na tabela, com 13 pontos

Na noite desta terça-feira (20), a partida entre CSA e Aparecidense, fechando a 9ª rodada da Série C do Brasileiro, finalmente, foi realizada. E ninguém levou a melhor, pois o placar ficou mesmo no empate por 1 a 1, no Estádio Rei Pelé. O resultado desagradou em cheio à torcida azulina que, ao final da partida, fez o coro no estádio: "Time sem-vergonha!".

O jogo seria disputado nessa segunda-feira (19), no Trapichão, mas como as linhas de marcações do campo foram apagadas pelas fortes chuvas, o duelo acabou sendo adiado para esta terça-feira (20), quando as marcações, enfim, foram pintadas, pela manhã.

Fizeram os gols da partida Raphael Luz, que marcou para a Aparecidense, no 1º tempo, abrindo o placar; e Tomas Bastos, decretando o empate do CSA, também na etapa inicial.

Com este resultado, agora o Azulão ocupa a 10ª posição na tabela, com 13 pontos, ainda fora do G8. O time goiano, por sua vez, segue na lanterna, somando 7 pontos.

O próximo embate azulino será apenas na quarta-feira da outra semana (dia 28), no mesmo Rei Pelé, às 20 horas, contra o América-RN. E a Aparecidense vai encarar o Operário-PR, na segunda-feira (26), no Germano Krüger, também às 20 horas.

Momento da comemoração do gol da Aparecidense - Foto: Felipe Sóstenes

1º Tempo

O jogo começou sem grandes emoções, sem grandes jogadas por parte das duas equipes, ao menos até os 5 minutos. Em um primeiro bom momento do CSA, ainda aos 5 minutos, o time azulino quase fez o gol. Após cruzamento na área da Aparecidense, a defesa do time goiano cortou, Rhuan aproveitou o rebote e chutou, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

Os primeiros dez minutos da partida mostravam um CSA melhor em campo, com maior volume de jogo. Em um dos lances da Aparecidense, Felipe Manoel tentou dar o passe pelo meio, na frente da área azulina, mas Moisés Ribeiro interceptou bem.

A primeira chance do time goiano se deu aos 14 minutos, quando teve uma falta em seu favor. Na cobrança, David bateu por baixo, Alex Henrique chegou, mas foi travado por Arnaldo e a bola saiu pela linha de fundo, em escanteio.

O Azulão tinha mais time, mas não acertava o pé. E a partida passava dos 20 minutos, quando veio um verdadeiro apagão do sistema defensivo azulino e o time goiano abriu o placar. Aos 23min, Paulo César saiu jogando errado e deu um presente para Rafa Marcos, que passou para Raphael Luz entrar na área azulina, livrar-se da marcação e mandar no canto direito de Dalberson: 1 a 0.

Depois que fez o gol, o Camaleão passou a jogar mais ainda todo fechado. Aos 26 minutos, Yago Henrique, do CSA, roubou a bola na frente da área e passou para Gabriel Taliari, que chutou rasteiro, mas Pedro Henrique fez a defesa. A essa altura a torcida azulina já se mostrava impaciente no estádio.

Aos 29 minutos, o CSA tentou, mas foi em vão, quando Yago Henrique apareceu na frente da área da Aparecidense, tentou fazer o pivô, mas errou o passe e mandou a bola direto para o goleiro, deixando a torcida azulina na bronca. Mas aos 35', veio o empate do CSA, em gol de bola parada. Tomas Bastos bateu a falta direto para o gol, do meio da rua, e mandou no canto esquerdo de Pedro Henrique, deixando tudo igual no Rei Pelé: 1 a 1.

Chegando aos 40 minutos, o CSA tocava a bola no campo defensivo. Aos 42', a Aparecidense arriscou e quase pegou o Azulão de surpresa. Rafa Marcos arriscou da ponta direita, o chute saiu cruzado e rasteiro, beijando a trave do CSA. Para alívio dos azulinos, não aconteceu o gol. O árbitro deu 4min de acréscimos e, aos 49', o 1º tempo foi finalizado, sob vaias da torcida azulina para o time.

Momento do gol azulino, de falta - Foto: Felipe Sóstenes

2º Tempo

No intervalo, o CSA fez uma mudança: Ruan, com uma das coxas machucadas, não voltou para o jogo. Nem era um minuto ainda e o Azulão assustou. Gabriel Taliari tentou fazer a tabela com Tomas Bastos, mas Pedro Henrique saiu do gol e ficou com a pelota. O Azulão queria o segundo gol e tentou, aos 3min. Taliari dominou, girou e bateu rápido, vendo a bola passar tirando tinta da trave direita do goleiro.

O Azulão voltou melhor para o segundo tempo. Aos 6 minutos, de novo o time alagoano tentou e quase fez o segundo gol. Taliari rolou a bola para Tomas Bastos, que chutou forte, de perna direita, e o goleiro do Camaleão defendeu, espalmando e evitando a virada azulina. E assim os minutos passavam chegando aos 10 minutos.

Aos 13min, Yago Henrique, do CSA, sentiu dores no joelho direito, após ter sido atingido por Thuram, em uma disputa de bola, e ficou caído no gramado. Saiu de maca e acabou sendo substituído por Rodolfo. O Azulão pressionava e seguia em busca do segundo gol. Aos 17min, Robinho bateu forte, o goleiro deu rebote e, na sobra, Rhuan chutou e a bola resvalou na defesa da Aparecidense antes de sair para escanteio.

Na cobrança de escanteio, aos 18', Tomas Bastos bateu, Rafael Forster cabeceou com força e a bola foi muito perto da trave de Pedro Henrique, em mais uma chance desperdiçada. No primeiro ataque do time goiano, aos 21', uma falha feia da defesa azulina: Rodrigues jogou na área do CSA, Dalberson falhou, deixando a bola escapar, e Rafa Marcos chutou em cima de Alex Henrique. No rebote, Rafa Marcos, ainda no chão, mandou para fora.

O jogo passava dos 30 minutos e o que se via era que o Azulão insistia em busca do gol, trabalhando no campo ofensivo e levantando a torcida no Rei Pelé. Aos 31', Tomas Bastos bateu forte, da entrada da área, no canto, e Pedro Henrique se esticou todo para evitar a virada azulina.

Aos 37 minutos, o Camaleão teve uma falta em seu favor. Na cobrança, João Diogo mandou na primeira trave, mas Paulo César cortou. Pressionado, pois queriam o gol da virada, os jogadores do Azulão estavam muito nervosos, errando os passes. Com isso, a torcida azulina estava impaciente e cobrava mais do time.

Aos 42min, o Azulão quase marcou. Rhuan chegou à linha de fundo, levantou no segundo pau e Thiaguinho cabeceou livre, mas acabou acertando a rede pelo lado de fora. Ainda teve gente que gritou gol no estádio. O árbitro decretou 9 minutos de acréscimos ao 2º tempo, depois mais 1 minuto, o CSA era todo pressão, mas, nem assim, conseguiu a virada. E, aos 55min, o jogo foi encerrado com o 1 a 1.

Jogadores do CSA festejam o gol de empate - Foto: Felipe Sóstenes

Ficha Técnica

CSA - Dalberson; Arnaldo, Rafael Forster, Paulo César e Rhuan; Moisés Ribeiro (Jô), Yago Henrique (Rodolfo) e Tomas Bastos (Cedric); Gabriel Taliari, Ruan (Robinho) e Iago Teles (Thiaguinho). Técnico: Vinícius Bergantin.

Aparecidense - Pedro Henrique; David, Vanderley, Thuram e Rodrigues; Felipe Manoel (Ferreira), Naldo, Guilherme Nunes (Matheus Leal) e Raphael Luz (Robert); Alex Henrique e Rafa Marcos (João Diogo). Técnico: Hemerson Maria.

Árbitro - Paulo Belence Alves dos Prazeres Filho (CBF/PE).

Assistentes - Ricardo Bezerra Chianca (CBF/PE) e Bruno César Chaves Vieira (CBF/PE).

Quarto árbitro - Wiomar Santana de Oliveira (CBF/AL).

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p