Urnas eletrônicas começam a ser preparadas pelo TRE para as eleições 2022

Procedimento consiste na instalação de dados e aplicativos a partir das mídias para carga, para votação e para gravação de resultados

As 8.165 urnas eletrônicas que serão utilizadas nas eleições deste ano começaram a ser preparadas, nesta sexta-feira (16), pelo Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) para o pleito que acontece no próximo dia 02 de outubro. A abertura dos trabalhos foi acompanhada pela Comissão Eleitoral e pelo Observatório Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL). Os servidores e servidoras da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) são os responsáveis pela coordenação dos trabalhos.

O procedimento consiste na instalação de dados e aplicativos a partir das mídias para carga, para votação e para gravação de resultados, bem como na lacração e na realização de auditorias e testes de funcionamento em todos os equipamentos. Na prática, trata-se da inserção em flash cards do nome e da imagem dos candidatos concorrentes neste pleito, além da formatação das mídias de resultado que registrarão os votos dados pelos eleitores em cada urna eletrônica.

O secretário de TI do TRE de Alagoas, Henrique Méro, explica que a urna eletrônica só pode ser considerada preparada após receber os dados oficiais e ser devidamente testada. “Durante esse processo são emitidos dois comprovantes, o extrato de carga, que é emitido após a inserção dos dados dos candidatos e eleitores; e o comprovante de carga, que é emitido após o teste. Em sequência, as urnas recebem os lacres assinados e terão suas embalagens identificadas com a Zona Eleitoral, o município e a seção a que se destinam”.

À medida que forem preparadas, as urnas eletrônicas são transportadas para os cartórios eleitorais de todo o Estado, onde permanecem até o sábado, véspera da eleição. Ainda no sábado, é feito o transporte e distribuição das urnas para os locais de votação e acontece uma nova etapa de verificação, para descartar a hipótese de algum problema ocasionado pelo transporte ser detectado.

“No caso de divergência de informações ou falha de funcionamento, as urnas poderão ser submetidas a procedimentos de contingência, ajuste de data/hora ou ainda receberem nova “carga”, que deverá será feita no cartório eleitoral, podendo os representantes do MP, da OAB e dos partidos políticos e coligações acompanhar todos os procedimentos nesses locais”, esclarece o secretário de TI do Tribunal.

*Com informações da assessoria