Operação contra crimes eleitorais já levou a 34 prisões e apreensão de R$ 3 milhões

Operação Eleições, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, começou na segunda (26). Ação emprega 500 mil agentes e visa garantir segurança na votação.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou neste sábado (1º) que 34 pessoas foram presas e R$ 3 milhões foram apreendidos desde a segunda (26), quando teve início a Operação Eleições, que visa combater crimes eleitorais e garantir a segurança e proteção dos eleitores e servidores da Justiça Eleitoral.

O monitoramento é concentrado no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança, por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), integrando as 26 Secretarias de Segurança estaduais e do Distrito Federal, em Brasília.

Ao todo, são 500 mil agentes nas ruas, em todo o país, para garantir a manutenção da segurança e ordem durante as eleições de domingo (2).

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o "efetivo vai atuar em possíveis atos de violência e crimes eleitorais, como boca de urna, transporte ilegal de eleitores, compras de votos e propaganda irregular".