Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ECONOMIA

Volume de declarações de IR cresce 3,8% e atinge 248,3 mil documentos em Alagoas

A partir desta quarta-feira, contribuinte que perdeu o prazo pagará multa de R$ 165,74

A Receita Federal recebeu 248.341 declarações de Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) de contribuintes alagoanos, até às 23h59 dessa terça-feira (30), data limite para a entrega dos documentos. O volume representa um aumento de 3,8% em relação ao número de declarações entregues no ano passado e um avanço de 1,36% dos 245 mil documentos que eram esperados pelo órgão este ano.

A partir de hoje, os contribuintes que perderam o prazo para a entrega da declaração podem enviar o documento, mas com a incidência de multa de de R$ 165,74 e a máxima de 20% do imposto devido por atraso.

Leia também

Para entregar a declaração em atraso, o contribuinte deve baixar o programa no site da Receita, escolher o ano-calendário correspondente e preencher o documento. Assim que transmitir a declaração em atraso, o contribuinte receberá a Notificação de Lançamento da multa.

Para os contribuintes que têm imposto devido, a multa é de 1% ao mês até o máximo de 20% do imposto devido. Esse percentual incide sobre o imposto devido apurado na declaração, ainda que integralmente pago.

Se o valor de 1% do imposto devido for inferior à multa mínima, o contribuinte pagará R$ 165,74. Por exemplo, se o imposto devido for R$ 5.000 e o contribuinte entregar a declaração com um mês de atraso, o valor da multa ficará em R$ 50. Como esse valor ficou inferior ao mínimo, o contribuinte pagará R$ 165,74. As informações são da Agência Brasil.

Segundo a Receita Federal, são obrigados a declarar o Imposto de Renda os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis (como salários e aluguéis), cuja soma anual foi superior a R$ 28.559,70. Receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (por exemplo: indenizações trabalhistas, caderneta de poupança ou doações) em valor superior a R$ 40 mil.

Também é obrigado quem obteve, em qualquer mês, ganhos na venda de bens ou direitos sujeitos à incidência de Imposto de Renda, como imóveis vendidos com lucro (o chamado ganho de capital), ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas (investimentos).

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas