Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > ECONOMIA

Vendas no comércio de AL acumulam alta de 7,2% no 1º trimestre

Percentual registrado é o 10º maior do Brasil e está acima da média do nacional, que foi de 5,9%, aponta IBGE


				
					Vendas no comércio de  AL acumulam alta de 7,2% no 1º trimestre
Vendas no comércio de AL acumulam alta de 7,2% no 1º trimestre. Ailton Cruz - Arquivo GA

As vendas no comércio varejista de Alagoas acumulam alta de 7,2% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nessa quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O valor registrado em Alagoas é o 10º maior do Brasil e está acima da média do nacional, que foi de 5,9%.

Quando analisado o resultado apenas de março, o setor teve alta de 4,4% no estado quando comparado com o mesmo mês de 2023. O resultado alagoano de março é o 20º maior do País. Já na comparação de março com fevereiro, houve leve recuo de 0,1%.

Leia também

Ainda assim, o acumulado dos últimos 12 meses em Alagoas é de 3%, o nono melhor resultado nacional e quarto do Nordeste, também acima do valor registrado nacionalmente, que foi de 2,5%.

Quando analisado o recorte por receita do setor, a arrecadação com vendas no comércio varejista de Alagoas acumulam alta de 8,5% no primeiro trimestre. O valor é o 15º maior do Brasil, e está acima do nacional, que foi de 5,9%.

Somente em março, o setor teve alta de 6,4% no estado ante o mesmo mês de 2023. O resultado alagoano de março é o 21º maior do País. Já na comparação de março com fevereiro, houve queda de 0,3%.

Ainda assim, o acumulado das vendas dos últimos 12 meses em Alagoas é de 4,5%, o nono melhor resultado nacional e quarto do Nordeste, também acima do valor registrado nacionalmente, que foi de 4,1%.

No Brasil, o primeiro trimestre de 2024 alcançou 5,9% de crescimento em relação ao mesmo período de 2023. O resultado foi o quinto positivo consecutivo nessa comparação, já que o último resultado negativo foi o terceiro trimestre de 2022 (-0,4%).

Setorialmente, três atividades tiveram resultados no campo positivo: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (12,2%), Hiper e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (8,0%) e

Outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,6%). Cinco atividades apresentram variação negativa no primeiro trimestre de 2024 em relação ao mesmo tri de 2023: Livros, Jornais, revistas e papelaria (-9,4%), Combustíveis e lubrificantes (-1,6%), Tecidos, vestuário e calçados (-0,3%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-0,3%) e Móveis e eletrodomésticos (-0,2%).

No caso do varejo ampliado, o resultado do primeiro trimestre de 2024 foi positivo em 4,6% em relação ao primeiro trimestre de 2023. Em termos setoriais, Veículos e motos, partes e peças teve crescimento de 9,4%, enquanto Material de construção e Atacado especializado em produtos alimentícios, bebidas e fumo fecharam no campo negativo: -1,7% e - 2,2%, respectivamente

Na passagem de fevereiro para março de 2024, na série com ajuste sazonal, houve resultados positivos em 16 das 27 Unidades da Federação (UFs), com destaque para: Sergipe (3,7%), Bahia (3,1%) e Rio Grande do Sul (2,1%).

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas