Alagoas é o segundo pior do Nordeste e o quinto pior do Brasil em qualidade de vida

IBGE apresenta pela primeira vez um índice multidimensional para a perda de qualidade de vida, além do desempenho socioeconômico

Alagoas é o segundo pior do Nordeste e o quinto pior do país em qualidade de vida, segundo índice apresentado pelo IBGE referente aos anos de 2017 e 2018. O levantamento segue recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU) e utiliza variáveis da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do período. Os valores do IPQV vão de 0 a 1, sendo que, quanto mais perto de zero, menor a perda.

O Estado do Maranhão é o que tem maior IPQV, índice que chegou a 0,260, que significa que ele reúne a maior perda na qualidade de vida do Brasil. Na região Nordeste, a segunda pior colocação é a de Alagoas, que é também o quinto no País, com 0,218, maior índice que o apresentado no Brasil, que chegou a 0,158.

As regiões Sul (0,115) e Sudeste (0,127) tiveram um IPQV melhor que o nacional. Já Norte (0,225) e Nordeste (0,209) mostraram índices piores. “Famílias cuja pessoa de referência era homem apresentaram menor perda de qualidade de vida, com um IPQV de 0,151, contra 0,169 nas famílias lideradas por mulheres. E nas famílias com a pessoa de referência preta ou parda (0,185), a perda de qualidade de vida era 17% maior do que a média nacional e maior do que aquelas com a pessoa de referência branca (0,123)”, informa trecho da pesquisa.

Alagoas é novamente destaque negativo, dessa vez no Índice de Desempenho Socioeconômico (IDS) e o terceiro no país, atrás apenas dos estados do Pará e do Maranhão.

O índice de desempenho socioeconômico (IDS) é um resultado que combina os resultados da renda disponível familiar per capita (RDFPC) e as perdas de qualidade de vida a partir de seis dimensões (Moradia; Acesso aos serviços de utilidade pública; Saúde e alimentação; Educação; Acesso aos serviços financeiro e padrão de vida; Transporte e lazer) através do IPQV. Assim, o índice combina a capacidade de geração de recursos e a qualidade de vida da sociedade.

O IBGE apresenta pela primeira vez um índice multidimensional para a perda de qualidade de vida (IPQV), além de um segundo índice que mede o desempenho socioeconômico (IDS).