Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > diversão & variedades > TV E CELEBRIDADES

Serginho Jucá brilha na final do 'Mestre do Sabor', mas Dário Costa leva prêmio

Quatro chefs disputaram o título da segunda temporada do reality culinário, nessa quinta-feira

Dário Costa é o grande vencedor da segunda temporada do Mestre do Sabor. A decisão do reality culinário foi disputada por quatro chefs: Ana Zambelli, Dário Costa, Júnior Marinho e Serginho Jucá - que brilhou na final. Porém, depois de três provas muito emocionantes e acirradas, o chef paulista levou a melhor e ficou com o título.

Surpreso com a conquista, o novo campeão comentou que não esperava o sucesso obtido no reality.

Leia também

"Achei que não ia passar da primeira prova. Estou em choque ainda", falou o campeão.

Quer saber como foram as provas que deram o título para o Chef? A gente te conta!

Emoção

A final já começou emocionante. O Mestre José Avillez, que teve que voltar para Portugal por conta da Covid-19, mandou um recado para o time do Mestre do Sabor.

Regras da final

Na grande decisão os quatro finalistas precisaram preparar um menu completo. A disputa foi realizada em três etapas: na primeira, tiveram que fazer um prato de entrada. Na segunda, o prato principal e, na terceira, uma sobremesa.

A cada prova os ingredientes obrigatórios para a confecção dos pratos eram definidos por sorteio. Claude Troisgros e Batista sorteavam um cutelo com uma das três cores (azul, laranja e verde) e os Chefs precisariam usar os ingredientes com rótulos somente daquela cor. Os com o rótulo branco foram liberados para os finalistas usarem livremente. O apresentador confirmou, porém, que os finalistas tiveram uma colher de chá: todos os produtos da Seara no mercado também ficaram liberados para o uso.

Primeira prova: Prato de Entrada

Na primeira prova o quarteto teve 35 minutos para fazer um prato de entrada. O vencedor da disputa ganharia como bônus mais cinco minutos na segunda prova. Claude sorteou o cutelo laranja e limitou os ingredientes para os finalistas.

Serginho Jucá resgatou uma receita familiar para a entrada do Menu Minhas Lembranças. Ele se inspirou na irmã do bisavô para fazer o prato Caruru da tia Lili com peixe. O preparo usou ainda quiabo, gengibre, alho, alho poró, leite de coco e dendê.

O Menu feito por Dário Costa foi batizado como Sinais. Para a entrada, o Chef preparou um Crudo de peixe vermelho com leite de castanha.

Ana Zambelli batizou seu menu como Toda Forma de amor. Ela fez um batidinho brasileiro, com lagostim, carne de sol e quiabo tostado. O prato também continha creme de wassabe e picles de maxixe.

Júnior Marinho escolheu o nome Brasil brasileiro para definir seu menu. Ele preparou de entrada um prato com carne de sol, creme de cará e maxixe.

Depois de provarem os quatro pratos, Kátia Barbosa, Leo Paixão e Rafa Costa e Silva decidiram o vencedor da primeira prova. Segundo os Mestres, qualquer um dos pratos poderia vencer, mas que um deles foi unanimidade: o Crudo de vermelho feito por Dário Costa. Com isso, ele garantiu mais cinco minutos na segunda prova.

O Chef de Santos (SP) comentou a vitória na primeira disputa. Ele explica que como achava que teria pouco tempo para o preparo, escolheu uma receita que não precisasse de cozimento.

"Fiz a prova sem ligar o fogão. Como era a entrada, queria que o prato fosse frio. Até usei gelo. Com esse tempo de prova era difícil ter cozimento", diz.

Segunda prova: Prato Principal

Chegou a hora dos finalistas mostrarem seus talentos na confecção do Prato Principal. Claude Troisgros sorteou o cutelo de cor azul. Assim, ingredientes identificados com as outras cores não puderam ser utilizados.

Dário, por vencer a primeira prova, teve 55 minutos para elaborar seu prato, enquanto seu trio de adversários só teve 50 para fazer a receita.

No meio da prova, Serginho Jucá e Ana Zambelli perceberam que estavam usando ingredientes que não poderiam estar na receita. O alagoano usou um vinho tinto e Ana mascarpone. Com isso, os dois tiveram que fazer ajustes em seus preparos.

Serginho ainda teve que fazer mais mudanças. Ele escolheu creme de leite e açúcar mascavo, outros dois ingredientes com rótulo laranja, que também não poderiam estar na receita. Assim, o alagoano mais uma vez precisou alterar seu prato.

O primeiro prato da degustação foi o feito por Júnior Marinho. Ele fez uma anchova com batata, compota de maçã e fumé.

Depois das duas alterações na receita, Serginho optou por preparar uma carne de panela com farofa de abóbora e salada de couve.

Dário Costa também fez uma Anchova. A dele foi ao molho de camarão, com manjericão e tomates, além de nata.

Ana Zambelli, por sua vez, optou por fazer um Peito bovino na cajuína e farofa de banana com bacon.

Terceira prova: sobremesa

Terceira e decisiva prova. Os quatro finalistas tiveram quarenta minutos e só puderam usar ingredientes com rótulo laranja para fazer a sobremesa.

Mais uma vez os pratos preparados foram muito elogiados pelos Mestres.

Resultado

Após provarem os três pratos de cada finalistas, os Mestres avaliaram os menus dos Chefs. Coube a Leo Paixão dar o resultado: o Menu Sinais, feito por Dário Costa, foi escolhido como o melhor da grande final, dando o título da segunda temporada para o Chef paulista.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas