Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > diversão & variedades > TV E CELEBRIDADES

Namorada de Joanna agride a mãe após ser acusada de desviar dinheiro da tia-avó

Karen Keldani violentou dona Nely Keldani, de 66 anos, e não socorreu a mãe, que foi parar em hospital do Rio de Janeiro com traumatismo craniano

Karen Keldani, namorada da cantora Joanna, agrediu a própria mãe, Dona Nely Keldani, de 66 anos, após desentendimentos com a família por conta de supostos desvios de dinheiro para ela e a artista. A agressão aconteceu em junho deste ano no prédio em que a mãe de Karen mora, em Copacabana, Zona Sul do Rio, mas só veio à tona agora porque Dona Nely diz ter recebido ameaças constantes da filha. "Nem queríamos divulgar essa história. Mas a Karen continua ameaçando minha mãe. Achamos que isso não vai parar nunca", diz Fábio Keldani, irmão de Karen, em conversa com Quem nesta segunda-feira (23). Procurada por Quem para dar sua posição a respeito das acusações, Karen não retornou as ligações e nem respondeu as mensagens de texto enviadas pela reportagem até o fechamento desta matéria.

Tudo teria começado depois que Fábio e Dona Nely suspeitaram que Karen estava desviando dinheiro das contas da tia-avó aposentada. "Minha tia-avó veio morar comigo e com a minha mãe há uns quatro anos. Minha mãe sempre confiou na minha irmã e pediu para ela tomar conta da parte financeira da minha tia. Mas de uns dois anos para cá, minha irmã começou a dizer que minha tia estava ficando dura e minha mãe achou estranho, já que minha tia tem aposentadoria do Ministério da Fazenda e recebe uns R$25 mil por mês. Ao mesmo tempo, a Karen estava empresariando a Joana e começou a pagar plásticas para ela, passou a investir nela, e a vida delas foi só crescendo. Então, minha mãe pediu para minha irmã para ver as contas, só para não ter problema com a família. Minha irmã ficou nervosa e disse que se ela quisesse ver que entrasse na Justiça. Minha mãe pediu para eu ver um advogado para pedir a curatela da minha tia. Ganhamos a curatela e descobrimos que a Karen estava desviando o dinheiro da minha tia. Teve um mês que ela chegou a transferir R$42 mil para a conta dela. E ela ainda sonegava os impostos", alega Fábio.

Leia também

Durante a agressão, que foi filmada pelas câmeras de segurança do condomínio, Karen empurrou a mãe contra uma das pilastras do prédio. "Ela veio aqui no nosso prédio, chamou a minha mãe para descer com o filho dela, que tem seis anos. Quando a minha mãe desceu, ela tomou o celular da minha mãe para pegar as informações confidenciais do processo. E a minha mãe pediu o celular de volta e tentou pegar. A minha irmã empurrou a minha mãe contra uma pilastra de mármore aqui do prédio, ela bateu com a cabeça, caiu e minha irmã não prestou socorro. Ela continuou com o celular da minha mãe e saiu correndo. Quando eu desci e vi minha mãe caída, ela estava com a nuca sangrando e me pediu para levá-la até a Casa de Saúde São José, porque ela não estava nem conseguindo levantar direito. Chegando lá, ela teve convulsão, traumatismo craniano e sangramento interno. A pancada atrás foi tão forte que ainda quebrou a órbita ocular dela na frente. Ela teve perda da visão e da audição (cerca de 20%)", conta.


				
					Namorada de Joanna agride a mãe após ser acusada de desviar dinheiro da tia-avó
FOTO: Divulgação

Fábio afirma que Karen nega a agressão e o desvio de dinheiro da tia-avó. "Minha irmã fala que é tudo mentira, que não namora a Joanna. Ela tem sociopatia. Graças a Deus nós temos provas de que ela está mentindo. Minha mãe está pessima, chora todos os dias, isso não se resolve. E minha tia, uma senhora de 90 anos, sem ter o próprio sustento porque alguém está se aproveitando. Estamos recebendo o salário da minha tia e temos que prestar contas com o juiz, mas como está tendo a pandemia, demoramos a receber. Pelo menos minha irmã não toca mais nesse dinheiro. Mas ela proibiu minha mãe de ver o neto e proibiu o pai da criança de ver o filho porque ele traz meu sobrinho para ver minha mãe", lamenta. "A Karen era uma pessoa legal. Mas depois desse relacionamento com a Joana, ela mudou demais. Ela traiu o marido com a Joanna e começou a roubar. Resolvemos vir a público para proteger minha mãe. Minha irmã é cantora católica e trabalhava na secretaria de cultura, mas foi exonerada por mau comportamento. Hoje ela tem um emprego na Funarj, mas ganha sem trabalhar", conta. A informação foi dada em primeira mão pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Tags

Relacionadas