Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > diversão & variedades > TV E CELEBRIDADES

Luisa Mell desabafa sobre resgate de animais no RS

Luisa Mell esteve no RS para auxiliar no resgate de animais e disse que está tendo pesadelos


				
					Luisa Mell desabafa sobre resgate de animais no RS
Luis Mell lamentou o que viu no Rio Grande do Sul. Foto: Reprodução/Instagram

Luisa Mell viajou para ajudar os animais no Rio Grande do Sul e até chegou a quebrar duas costelas, precisando voltar a São Paulo. A ativista, entretanto, revelou que não consegue tirar as fortes imagens da cabeça e que está acompanhada de uma equipe.

“Minha equipe está lá. Eles nadam, pulam muro, escalam telhado… Estou sendo bem representada. No meio desse caos todo, toda noite tenho pesadelos com animais se afogando”, revelou, em entrevista ao F5.

Leia também

Luis Mell lamentou o que viu no Rio Grande do Sul. “Nunca tinha me deparado com tantos animais mortos. E quantos outros ainda vão morrer?”, declarou, explicando que houve lugares em que não conseguiu entrar por serem dominados por facções.

A ativista contou que se hospedou a uma hora do local dos resgates e que iniciava as buscas às 5h. A rotina terminava às 18h30, quando o sol já se escondia e o local começava a ficar escuro. Apesar de querer continuar a jornada, ela entendeu que era perigoso.

“Como uma guerra”

Após quebrar a costela, ela voltou a São Paulo e comentou que foi proibida de voltar ao Rio Grande do Sul e que precisa ficar deitada. “Daquei oriento minha equipe que ficou lá. Não tem recompensa igual a salvar um bichinho”, declarou, acrescentando que deve ter salvado cerca de 50 animais.

“Alguns deles fomos com os tutores para tentar recuperar e, quando conseguíamos, era uma felicidade. Mas, quando não, o cenário era devastador. Vi cada cena, nunca tinha me deparado com tantos animais mortos. E quantos outros ainda vão morrer? É um momento como se fosse uma guerra”, declarou.

Por fim, ela revelou que está organizando um evento para doações de cães. “O primeiro será dia 25 no shopping Iguatemi em Florianópolis. Estamos selecionando animais para levar. Se aparecer o dono até dois meses, a política é devolver. As demais feiras serão em São Paulo e Minas Gerais. Precisamos tirar esses animais de lá, mas com responsabilidade”, encerrou.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas