Governo do Rio decreta luto de três dias pela morte de Jô Soares

Apresentador, ator, humorista, escritor e diretor morreu na madrugada desta sexta (5/8), aos 84 anos; ele nasceu no Rio de Janeiro em 1938

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), decretou luto oficial por três dias pela morte de Jô Soares. O apresentador, ator, humorista, escritor e diretor morreu na madrugada desta sexta-feira (5/8), aos 84 anos.

“Perdemos hoje um dos mais brilhantes humoristas. Inteligente, requintado e autêntico, Jô Soares jamais será esquecido. Meus sinceros sentimentos à família desta grande personalidade que se destacava em tudo o que fazia”, afirmou o governador, em nota.

O artista estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde 28 de julho. A causa da morte não foi informada, por decisão da família. A discrição foi pedida pelo próprio Jô.

O Sírio-Libanês confirmou, em nota, que Jô morreu às 2h20. A morte do artista causou uma comoção entre colegas e admiradores.

José Eugênio Soares, conhecido como Jô, nasceu em 16 de janeiro de 1938, no Rio de Janeiro. Ele foi humorista, apresentador de televisão, escritor, diretor e ator.

Jô trabalhou nas emissoras Continental, TV Rio, Tupi, Excelsior, Record, SBT e Globo. Entre os bordões, está o “beijo do gordo”.