Funcionários reais criticam postura de Charles III: “Temperamental”

Em livro sobre a família real, o comportamento do novo rei do Reino Unido foi duramente criticado

No livro Courtiers: The Hidden Power Behind The Crown (Funcionários da Corte: o poder oculto por trás da Coroa, em tradução livre), escrito pelo especialista real Valentine Low e com lançamento marcado para a próxima quinta-feira (6/10), ex e atuais empregados da monarquia britânica criticam a postura de Charles III, novo rei do Reino Unido. Primogênito de Elizabeth II, ele assumiu o trono após a morte da mãe, em 8 de setembro.

“Ele nunca está satisfeito consigo mesmo, com o que já conquistou. As pessoas ao redor dele tinham que trabalhar duro para acompanhar o ritmo”, diz um dos serviçais na publicação. Outros funcionários descrevem Charles como “temperamental e exigente”. Todos afirmam que ter o nobre como chefe não é fácil.

“Ele é exigente, no sentido de estar sempre trabalhando. Sete dias por semana. Ele nunca para”, conta outra fonte.

Em suas primeiras aparições públicas como rei, Charles surpreendeu justamente por demonstrar certa impaciência — relacionada sobretudo a canetas — que repercutiu negativamente na imprensa internacional.

O comportamento explosivo do monarca também foi assunto entre os empregados. “Ele raramente direcionava [a raiva] a um indivíduo específico”, garante um ex-funcionário. “Normalmente, seria por algo. Ele perdia a paciência, jogava um objeto contra a parede, se alterava e depois voltava a ficar calmo. Certas coisas, principalmente a mídia, o deixavam frustrado”, complementa.

Valentine Low é correspondente real do Times desde 2008 e apresentará ao público outro livro sobre a dinastia Windsor em 2023.