Criatura típica do fundo do oceano é encontrada em praia dos EUA

Apesar da existência do animal não ser rara, não é comum encontrá-lo em regiões rasas

Um visitante do Parque Estadual Crystal Cove, na Califórnia, nos EUA, avistou um peixe da ordem Lophiiformes destoando na areia branca da praia na última sexta-feira, dia 8. O animal é conhecido por habitar áreas profundas do Oceano Pacífico, uma espécie abissal, normalmente a mais de 915 metros, e sua aparência chamou atenção de Ben Estes, que tirou uma foto destacando as presas dele.

O peixe em questão tem cerca de 45 centímetros de comprimento e foi identificado como um peixe-pescador, que é da família Himantolophidae, segundo a emissora "CBSN Los Angeles". Embora sua existência não seja rara, é bastante incomum localizá-lo sem qualquer dano na costa. Ele foi encaminhado para o Departamento de Pesca e Vida Selvagem da Califórnia.

O peixe encontrado na praia californiana traz a cima da cabeça uma barbatana longa, presente nas fêmeas, se estendendo até a frente com um bulbo fosforescente na extremidade. A luz produzida pode atrair presas e, assim, ele ganhou o apelido de peixe-pescador.

"Na manhã de sexta-feira passada, um incrível peixe de alto mar apareceu na costa da Área Marinha Protegida (MPA) do Parque Estadual Crystal Cove. Existem mais de 200 espécies de peixe-pescador em todo o mundo e este peixe em particular é provavelmente o Pacific Football Fish", afirma uma postagem desta segunda-feira, dia 10, feita pelo parque estadual no Instagram.

"Somente as fêmeas possuem um longo caule na cabeça com pontas bioluminescentes usadas como isca para atrair presas na escuridão de águas profundas de até 915 metros! Seus dentes, como cacos de vidro pontiagudos, são transparentes e sua grande boca é capaz de sugar e engolir presas do tamanho de seu próprio corpo", acrescenta.

"Enquanto as fêmeas podem atingir comprimentos de 61 centímetros, os machos crescem apenas cerca de 2,5 centímetros de comprimento e seu único propósito é encontrar uma fêmea e ajudá-la a se reproduzir. Os machos se agarram à fêmea com os dentes e se tornam 'parasitas sexuais', eventualmente coalescendo com a fêmea até que nada reste de sua forma a não ser seus testículos para reprodução", conclui a postagem informacional sobre a espécie encontrada.