Vida e morte são revistas com poesia no espetáculo 'Senhora M.', que será apresentado hoje em Maceió

Peça teatral da Cia. Vixe Maria faz única apresentação, neste sábado (20), no teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara

Há uma coisa ao falar da morte. Digo "coisa" porque é isso mesmo: um estranhamento sem nome que se mistura ao terror do desconhecido. Foi justamente nesse além-mar que a dramaturga Anne Luz resolveu navegar na peça "Senhora M.", que chega aos palcos por meio da Cia. Vixe Maria, de Maceió. O espetáculo será apresentado neste sábado (20), às 19h, no teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara.

A peça nasceu despretensiosa, durante a conclusão do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A dramaturga diz que a ideia da morte e do medo de viver, em contraponto, foram os temas que lhe catapultaram para esta investigação cênica.

Ao palco, enfim, Cia. Vixe Maria leva música, teatro de máscaras e uma estética caprichada para auxiliar na provocação do público.

Para Emerson Ruan, que assina a direção da montagem, o espetáculo é minucioso em simbologias, explora o conceito de morte e a obsessão humana pelo assunto, pelo fim inevitável, interpretado por ele como um apego. Dito isso, não é de hoje que damos uma cara para a figura da morte.

O diretor evidencia a atualidade do texto, que nasceu na época da tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais. Ele diz que o impacto daquelas mortes pode ter motivado a escrita, mas as consequências da pandemia e a negligência humana envolvida nas mortes de milhares de pessoas ao redor do mundo, certamente deram outros contornos à trama.

Espetáculo faz única apresentação neste sábado (20), em Maceió - Foto: Divulgação

“O texto surge de um questionamento: a gente tenta fazer tantas coisas em vida, mas, todos vão para o mesmo lugar. Isso, pensado no contexto do poder e das classes sociais, das tragédias, que muitas vezes são resultados de ações humanas”, defende.

A autora Anne Luz, por sua vez, diz que o público pode esperar uma reflexão, mas, principalmente companhia para "parar para respirar, para suspirar, para ficar sem fôlego", pontua.

“Sobre a morte, a gente só coloca em pauta o que a gente já sabe, o que a gente não sabe sobre isso também. Mas, muitas vezes, queremos fugir do fato: todo mundo morre. Tudo que é vivo morre. Nessa relação há o medo, e o não ter medo. Não ter medo de viver, não ter medo de ser feliz, não ter medo de amar. Não ter medo. Porque ela [a morte] vai chegar para todo mundo”.

Juntos, autora e diretor destacam a origem do espetáculo, ainda no curso de Licenciatura em Teatro.

“O professor trabalhou com a ideia de corpos mortos em um dos jogos teatrais. Após isso, surgiu o meu desejo de criar um espetáculo dentro do curso, que fosse político, mas poético. Onde se pudesse receber essa experiência de uma forma mais acessível, e trouxesse realmente a reflexão, subentendida nas poéticas de cada cena”, afirma Juan.

Com duração de 40 minutos, a peça integrou a programação do Festival de Artes Cênicas de Alagoas (Festal), além de participar do projeto Pluralidades Cênicas, do curso de Teatro da Ufal. O espetáculo é para maiores de 16 anos.

Além de Ermerson Juan e Anne Luz, também fazem parte do elenco: Letícia Costa, Lucas Carvalho e Millena Brandão. A produção executiva é de Lidiane Memória. Maquiagem, cenografia e figurino são assinados pelo diretor, enquanto a concepção da iluminação é de Millena Brandão.

Serviço:

O quê: Espetáculo teatral ‘Senhora M’, da Cia. Vixe Maria

Onde: Centro Cultural Arte Pajuçara (Av. Dr. Antônio Gouveia, 1113 - Pajuçara, Maceió)

Quando: Sábado, 20 de agosto, às 19h

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$20,00 (meia-entrada)

Informações: (82) 99955-3636