Livro “Japson Almeida - Fragmentos de um Olhar” será relançado em AL

Obra, lançada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, faz um mergulho na Maceió dos anos 50 a 70

A capital alagoana dos anos 50 a 70, captada com sensibilidade pelas lentes do fotógrafo Japson Almeida, poderá ser revisitada com o lançamento, pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, da segunda edição do livro “Japson Almeida - Fragmentos de um olhar”. O lançamento acontecerá na terça-feira (29), no Café Duckbill Cookies & Coffee, no bairro da Jatiúca, em Maceió, a partir das 19h. Nesta mesma data, Japson Almeida estaria completando 100 anos.

Japson Almeida fez carreira como fotógrafo por mais de três décadas. Com sua Rolleiflex debaixo do braço, retratou uma Maceió que já não existe mais. Embora suas belezas naturais permaneçam, a cidade se transformou nas últimas décadas. Por meio do acervo fotográfico de Japson Almeida, no entanto, é possível fazer um mergulho no passado, com imagens de uma Praia da Avenida que poucos conhecem; de ladeiras que contam histórias, como a do Farol ou do Cortiço; as mudanças no Centro da cidade e a memorável destruição do Hotel Bela Vista.

“Japson Almeida - Fragmentos de um Olhar” traz mais do que fotos de paisagens, traz a tradução de décadas de trabalho e de experiências vividas pelo fotográfo, que atuou como repórter fotográfico de jornais, reproduziu materiais de pesquisas científicas que ajudaram médicos e pesquisadores a difundirem seus trabalhos, registrou o descobrimento do petróleo em Alagoas, bem como acontecimentos que entraram para a história de Alagoas, como o tiroteio na Assembleia Legislativa, que resultou no impeachment do governador Muniz Falcão. Foi presença marcante nos acontecimentos sociais e familiares.

“São imagens belíssimas, ao mesmo tempo que despertam curiosidades sobre a nossa cidade. Este livro é mais do que uma obra de fotografia e memórias, é um livro de história e que merece ser eternizado e guardado”, destaca Japson Almeida Filho.

Nascido no interior de Alagoas, na cidade de Capela, Japson Almeida tinha um olhar aguçado e curioso que, ao longo dos anos, conseguiu extrair, por meio de suas lentes, as mudanças e transformações da cidade de Maceió. Para eternizar seu trabalho, a família dele doou seu acervo à Fundação Joaquim Nabuco, órgão do Ministério da Educação localizado em Recife-PE, com o objetivo de que as gerações futuras tenham acesso a este rico material. Parte dele, um total de 49 fotografias, foi levada para o livro “Japson Almeida- Fragmentos de um Olhar”, onde o fotógrafo traça parte da história da capital alagoana, desde o centro da cidade até as belíssimas praias.

“Esta é uma homenagem singela a este grande fotógrafo e profissional que foi meu pai, mas mais do que isso, é uma forma de, sete anos depois, trazermos de volta a oportunidade das pessoas adquirirem esta memória e terem para si um pedaço dessa Maceió já extinta”, completa Japson Almeida Filho.

Japson Almeida faleceu há 30 anos, e o livro, lançado em parceria com a Imprensa Oficial Graciliano Ramos, traz de volta muitas memórias, para os amantes da história e da fotografia, sete anos após seu primeiro lançamento.

“Entre os fatos curiosos, podemos ver no livro um autorretrato feito por Japson Almeida, onde ele posiciona sua Rolleiflex no chão e aciona o disparador com o dedo do pé. Dizemos que este é um dos primeiros registros de uma selfie que se tem conhecimento”, disse Japson Filho.

Com assessoria*