Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > CULTURA

Douglas Apratto lança novo livro e celebra a intelectualidade alagoana

Pesquisa continua sendo a principal causa do autor, que apura fatos e dados com dedicação; lançamento foi prestigiado por autoridades

A formação da intelectualidade alagoana foi o assunto da noite desta terça-feira (6), no Arquivo Público de Alagoas (APA), quando pensadores, artistas e cientistas do Estado se reuniram para celebrar os novos lançamentos do escritor e vice-reitor do Centro de Estudos Superiores de Maceió (Cesmac), professor Douglas Apratto. Em uma cerimônia repleta de autoridades e destacados vultos da cultura de Alagoas, o autor autografou três relançamentos e uma obra inédita, o livro "O Silêncio dos Esquecidos".

Autor de 36 livros, sendo 34 deles dedicados ao resgate de fatos históricos, Apratto aproveitou para relançar novas edições dos sucessos editoriais “As vilas operárias, a mulher e o algodão em Alagoas”; “A presença Holandesa”; e "A Tragédia do Populismo: o impeachment de Muniz Falcão”.

Leia também

Visivelmente emocionado, Douglas Apratto, que é membro do Instituto Arnon de Mello (IOM), não poupou declarações de amor ao estado de Alagoas, exibindo também o orgulho pela própria história, que começa lá na cidade de São Miguel dos Campos, no interior.

"Alagoas, o país dos alagoanos, é o meu país. É um percurso contínuo e inseparável, a minha obra e a minha trajetória. A pesquisa e a relevância dela continuam porque Alagoas é uma esfinge. Ainda há muito o que pesquisar, descobrir e escrever", revelou o escritor.


				
					Douglas Apratto lança novo livro e celebra a intelectualidade alagoana
Maylson Honorato

A noite de autógrafos também foi prestigiada pelo diretor-executivo da Organização Arnon de Mello (OAM), Luís Amorim, que destacou a importância das obras e da pesquisa do professor Douglas Apratto.

"Uma importância imensurável, até porque, o que ele faz é preservar nossa história, nossa identidade, a miscigenação étnica, intelectual, tudo isso traz um grande ganho para nosso estado. Como ele mesmo disse: há uma riqueza a ser descoberta ainda por todos nós, porque Alagoas tem também um grande patrimônio intelectual. Ele é um dos grande intelectuais da atualidade. Tenho certeza que os livros dele serão colocados nas prateleiras mais cobiçadas e servirão para consulta e como uma maneira de perpetuar a história de Alagoas ao longo de sua existência", afirma o diretor-executivo da OAM.

Amorim também fala sobre a parceria desenvolvida ao longo dos anos entre o Instituto Arnon de Mello (IOM) e intelectuais alagoanos, que contribuíram para a construção de obras sobre a cultura e história de Alagoas.

"O Instituto Arnon de Mello tem o legítimo princípio de preservar a cultura de Alagoas e estimular que sua valorização. Nos últimos 16 anos, fazemos isso por meio de obras especiais e ações que envolvem esses grandes pensadores, os quais, muitos, estão aqui esta noite. Essa atuação do IOM tem proporcionado, sobretudo, a redescoberta daquilo que alguns viram apenas de forma sombreada, nas escolas, incentivando o interesse, principalmente dos jovens, por Alagoas e sua riqueza", comentou Amorim, lembrando que o instituto já está trabalhando na criação de uma nova Enciclopédia dos Municípios de Alagoas.


				
					Douglas Apratto lança novo livro e celebra a intelectualidade alagoana
Maylson Honorato

Ao destacar a importância da noite, o presidente da Academia Alagoana de Letras, Rostand Lanverly, afirma que Douglas Apratto se confunde com a história do próprio Estado.

"É um legado de força de um verdadeiro guerreiro. Ele sempre falou das coisas belas de Alagoas, mostrando ao mundo o que nós temos. E faz isso desde as histórias mais antigas até as atuais", destacou Rostand.

O esforço para a produção das obras, sempre com o apoio do Cesmac, foi lembrado pelo desembargador Orlando Rocha. Para ele, o compromisso de Douglas, aliado ao seu esforço para garantir as edições, é uma marca de sua personalidade.

"E isso é coisa de poucas pessoas que se dedicam a isso. É uma sorte nossa que haja pessoas que se dedicam principalmente a essa visão histórica da nossa existência, que circunda e gravita ao redor de todos nós. Vejo como um momento importante para a educação e às gerações que iniciam sua trajetória de vida", enfatizou o desembargador.

Aprendizado

Já para a presidente da Academia Palmeirense de Letras, professora e escritora Isvânia Marques, conhecer mais uma obra inédita de Douglas é a oportunidade de conhecer mais sobre a bela história de Alagoas.

"Estar  aqui presente e compartilhando com seus escritos e pensamentos é compartilhar com nossa história e nossa terra. É uma forma de recuperarmos e interagirmos com nossas raízes. Ouvi-lo falar e ler os seus inscritos, com a oralidade, se unem e tem como resultado essa gama de informações e nos faz um pouquinho mais culto. Nos torna melhores. Para mim, é prazeroso como estudante das letras e que gosta de ler estar inteirada com sua obra", reconheceu Isvânia.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas